O programa que o PT veiculou em rede nacional de televisão, para marcar os dez anos do partido à frente do governo federal foi alvo de críticas de deputados tucanos. Para os parlamentares, os petistas distorceram dados e passaram informações enganosas aos telespectadores, especialmente quando abordaram os temas econômicos.

O programa passou a ideia de que o partido “ajudou o brasileiro a consumir mais e melhor” e de que os shopping centers viraram direito de todos. Para o deputado federal Valdivino de Oliveira (PSDB-GO), esse é o problema das iniciativas que o governo tem feito: estímulo ao consumo exacerbado, que leva ao endividamento das famílias e compromete o futuro do País.

Ele chamou de “falácia” a declaração de que o governo tem combatido a inflação de forma implacável. O parlamentar recorda que a inflação acumulada chegou a estourar o teto da meta em abril, indo a 6,59% em doze meses.

— Estão jogando para a plateia. As ações no campo econômico são todas contrárias ao melhor receituário macroeconômico. O governo está gastando mal e exageradamente, induzindo ainda mais o processo inflacionário.

Leia mais notícias de Brasi

As declarações estão registradas em um texto publicado no site do PSDB, no qual o deputado Alexandre Toledo (PSDB-AL) enfatiza que o governo petista herdou uma “herança bendita” do governo tucano, como o Bolsa Família e a Lei de Responsabilidade Fiscal. Toledo afirma ainda que, diferentemente dos grandes feitos mostrados no programa partidário, o País sofre devido à infraestrutura precária.

— Como falam tanto de investimento? É tanta falácia que basta ver o que acontece hoje no País: risco de racionamento de energia, dificuldades nos aeroportos, os portos são um desastre para escoar a produção e as rodovias encontram-se completamente danificadas, o que só aumenta o custo Brasil.

Programa

O programa do PT exibido em rede nacional de rádio e televisão teve como protagonistas a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que durante dez minutos exaltaram as realizações dos dez anos de governo petista.

Lula e Dilma se revezaram na tela, um completando a frase iniciada pelo outro, destacando realizações dos governos liderados pelo partido e garantindo ao eleitor que “vamos fazer ainda mais”.

Adotando um tom de olhar para o futuro, com vistas à campanha à reeleição de Dilma em 2014, o programa petista não teve comparações com a gestão do tucano Fernando Henrique Cardoso na Presidência, entre 1995 e 2002. A única menção, ainda que de raspão, a uma comparação entre os dois governos foi a lembrança de que o governo petista saldou a dívida do país com o FMI (Fundo Monetário Internacional).

Endividamento das famílias mostra a irresponsabilidade de Lula e a aposta errada do governo no consumo

Estouro da bolha – Quando, no final de 2008, Lula ocupou os meios de comunicação para pedir aos brasileiros a manutenção do consumo em níveis elevados, como forma de minimizar os efeitos da crise internacional, que o petista resolveu batizar de “marolinha”, o ucho.info alertou para os diversos perigos decorrentes do apelo presidencial, mas os palacianos não deram muita importância. O objetivo era empurrar os brasileiros ao consumismo, não importando as consequências.

Como o desejo de consumo estava reprimido há anos e o crédito fácil e irresponsável permitiu reverter o quadro, mais da metade do País saiu às compras. Entre os alertas que fizemos, o do endividamento recorde das famílias e o da elevação da inadimplência mereceram destaque, sem contar os relacionados à falta de planejamento, algo corriqueiro no governo do PT.

Na verdade, o que os assessores de Lula fizeram, à época, foi desdenhar os críticos e afirmar que o ucho.info estava de marcação com o governo e torcia contra o Brasil. Fiscalizar o poder é a obrigação de qualquer jornalista sério que se recusa a aderir à teoria da “chapa branca”, engordando a  conta bancária com milhões de reais arrancados dos cofres públicos e enganando a sociedade. Torcer contra o Brasil foi mais uma sandice disparada pela assessoria do presidente, pois nosso objetivo maior é que o País prospere verdadeiramente.

O estrago provocado por Lula e seus aduladores começa a aparecer, sem que o ex-metalúrgico se digne a qualquer explicação. De acordo com a Confederação Nacional do Comércio, 60,2% das famílias brasileiras iniciaram 2013 endividadas. De acordo com o órgão, as dívidas estão distribuídas em cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnês de lojas, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguros.

Diante desse cenário, aliado ao fato que dois terços da população brasileira ganha menos dois salário mínimos, é no mínimo suicídio político a aposta do governo da presidente Dilma Rousseff no consumo interno, como tábua de salvação de uma economia em crise e que não reage estímulos oficiais. Imaginar que a redução da tarifa de energia elétrica levará ao crescimento do PIB é a razão maior para Dilma demitir o ainda ministro Guido Mantega, cuja incompetência é alvo corriqueiro de galhofas no mercado financeiro.

Fonte: Google