Anos atrás – em janeiro de 2001 -, portanto há mais de uma
década iniciei uma busca incessante por uma resposta que me intrigou muito
naquela época, após um acontecimento que marcou a minha consciência de forma
inesquecível. Foi o avistamento de uma nave espacial em Marília, no interior
paulista às vésperas da minha segunda viagem para o Japão.

– Olhe para
baixo e aguarde! – Ouvi uma voz soar firme, mas serena.

Estava olhando
para o céu naquela noite e tinha acabado de contemplar a passagem da Estação
Espacial, pois sabia o horário que ela surgia. Depois, sempre conseguia ver
algum objeto cruzando as noites estreladas – isso era rotina para mim desde a
adolescência -, pois conhecia até a “rota” destas naves que vinham da direção do
Uruguai e ia lá pelas bandas do Mato Grosso, aqui no Brasil.

Relaxei na
cadeira que estava sentado e fiquei observando o céu noturno um pouco acima do
telhado da área de serviço. Pouco tempo depois, vi surgir um vulto imenso,
metálico-cinzento, circular… então, percebi imediatamente que era uma nave.
Quando começou a passar sobre a minha cabeça, notei os detalhes que me
“pareciam” muito conhecidos. A estrutura da nave era colossal, já que cobriu
todo o céu ao cruzar o local onde eu estava.

Lembro-me deste momento com
tanta lucidez que ao recordar é como passar um filme em câmara lenta. Depois da
passagem desta nave entrei na cozinha e comentei o ocorrido.

– Adivinha
só o que acabei de ver lá fora! – disse assim que entrei.

– Um disco
voador!!! – foi a resposta que ouvi.

Dei uma risada da gozação e
respondi:

– Sim. Acabou de passar um agora. – ri também.

A pessoa
que estava na cozinha saiu correndo para ver, mas eu disse:

– Já
foi.

– E porque não me chamou?

– Ué, e eu ia perder a oportunidade
que tive? Oras!

E ficou por isso mesmo. No meu interior ficou a mensagem:
“Estamos contigo!”

Uma semana após este evento, parti para o Japão e
somente três anos depois consegui desvendar este surpreendente avistamento. Era
uma nave do Comando Ashtar, algo que desconhecia por completo e esta descoberta
surgiu após intensas buscas em livrarias atrás de livros e informações sobre
“Ovnis”. Em 2003 na Internet encontrei informações sobre o comandante Ashtar
Sheran, e mesmo cético prossegui nas minhas pesquisas.

Foram meses
estudando todo o material que “caía” em minhas mãos. Com o tempo comecei a me
aprofundar mais no personagem que respondia como “Ashtar”. A triagem foi
intensa, pois havia centenas de milhares de páginas e inúmeros sites que falavam
sobre Ele. Senti que seria uma “garimpagem” quase impossível de se levar
adiante. A ajuda do meu Mentor foi fundamental e decisiva para desvendar este
“mistério”.

Guiado por uma “intuição”, em fins do ano de 2003, encontrei
o elo que faria a minha conexão definitiva com o Comando. Desde então, reconheço
com plena lucidez e consciência que “reencontrei” velhos amigos e companheiros
de jornada cósmica. Os dois anos seguintes – 2004 e 2005 – foram marcados por
diversos encontros com os membros do Comando, entrada em suas naves através da
projeção da consciência, da projeção astral e também encontros “pessoais” com o
próprio Comandante Ashtar

Durante os anos de 2005 e 2006
participei de diversas operações de resgate no plano astral ao lado das equipes
do Comando e tomei conhecimento das várias raças planetárias que integram a
Frota Intergaláctica. Foram momento de extrema alegria os aprendizados
adquiridos ao longos destas tarefas e trabalhos executado por esta Força da
Luz.

A surpresa maior ocorreu em janeiro de 2006 depois de uma cerimônia
no Conselho Cármico, quando fui chamado por meu Mentor Espiritual e levado até o
hangar de uma nave-mãe, onde recebi de “presente” uma nave. Este fato é algo que
não gosto de mencionar nos meus artigos por soar de forma “negativa” aos ouvidos
incrédulos e de causar certo “mal estar” entre os meus leitores.

Não há
espaço na minha alma para alimentar qualquer “ego” na personalidade que assumi
para esta encarnação. A questão do “egocentrismo” já foi trabalhada ao longo dos
anos até o reencontro com o meu Mestre em 2004, portanto, fiquem certo meus
amados Corações de Luz, que estou além do apego desta dimensão terrena. O que
menciono em meus artigos deve servir apenas para incentivá-los na Fé e na Crença
de que há algo muito real acima da imaginação humana.

O propósito dos
artigos que escrevo sobre o Comando Ashtar serve apenas para esclarecimentos e
informações sobre a existência de seres “extraterrestres” que não são distantes
de nós e nem “alienígenas” como é divulgado. São nossos irmãos maiores em
relação à nossa Humanidade e sempre estiveram conosco ao longo da nossa evolução
terrena.

E depois, nós também somos Almas Cósmicas que viemos de vários
planetas e de outras Dimensões para um aprendizado aqui no planeta Terra. A
maioria de nós mesmos em níveis superiores de consciência, fazemos parte desta
Frota Intergaláctica e estamos encarnados para uma missão específica, cabendo a
cada um, reencontrar a si mesmo e voltar para suas origens estelares.

A
nave que mencionei acima é utilizada para diversas operações em outros planos
dimensionais tanto em nosso planeta como em outros do Sistema Solar. E todas
elas ligadas ao próprio Comando. Ela fica mais tempo dentro do hangar de um
Cruzador e em muitos casos é usada apenas para situações de emergências ou
instruções de pessoas que despertam suas consciências espirituais e fazem parte
da Unidade em que estou à serviço.

Por mais de uma década venho
testemunhando as mudanças que ocorrem no planeta e na Humanidade. Principalmente
entre aqueles Servidores da Luz que denomino de Águias do Comando, Guerreiros da
Luz e Trabalhadores da Luz. Todos esses seres são almas estelares que pertencem
à Frota Intergaláctica. Aos poucos, percebo suas consciências despertando para
seus Mestres Interiores, quando então começam a se “reintegrar” às suas Unidades
Cósmicas.

Em capítulos posteriores vou contar a história de muitos de
vocês, pois nossas histórias são as mesmas desde que começamos esta jornada
terrena. A minha intenção pessoal é a de ajudar na conscientização de suas
verdadeiras identidades cósmicas, pois acredito que quando isso ocorrer será
possível compreender a ilusão deste mundo terreno e como cada um de nós esteve
“prisioneiro” das próprias sensações nesta dimensão física.

O importante
para todos os Corações de Luz é entender que nestes últimos oito anos foi
desencadeado um processo lento de preparação para o despertar em massa destes
Servidores, os quais estou mencionando ultimamente como os “Servidores do
Cristo”, porque todos os acontecimentos anteriores ao evento final em 2012,
estavam relacionados ao início da Nova Era.

As revelações sobre este tema
e acontecimento são amplos e extensos, dependendo do ângulo de visão de um
leitor, porém trazem uma série de explicações sobre certos eventos e antigas
profecias. No decorrer dos próximos textos vamos abordar vários assuntos sobre
nossas civilizações do passado, onde a presença “extraterrestre” é parte
integrante desses povos e culturas que surgiram neste planeta.

O meu
conhecimento sobre a Vinda do Grande Ser e sua relação com o Comando Ashtar
foi-me revelado ao longo do ano de 2005 e desde então o meu trabalho tem sido o
de compartilhar a minha vivência entre eles e contribuir de forma simples apenas
narrando a caminhada de um peregrino após o seu despertar, para motivar cada ser
em sua busca interior pela verdade e incentivar cada um no seu crescimento
espiritual para romper o “véu ilusório” a que fomos submetido no
passado.

– Compreensão e Amor é tudo o que precisam!

Esta foi a
mensagem de Ashtar que me marcou muito há doze anos. Desde então, vi a minha
vida sofrer uma guinada incrível quando entendi o teor destas palavras sábias e
inspiradoras.

Sobre a Nova Era que começou de forma simbólica agora no
dia 21 de dezembro de 2012 é apenas um marco para a Humanidade atual. Há dois
mil anos Ele – o Cristo – disse que voltaria. Ele tinha o conhecimento
relacionado à sua Missão Divina. Para isso, iniciou a Era de Peixes e agora vai
começar a Era de Aquário. É função de um grande Avatar “reencarnar” num
invólucro carnal e ancorar a Energia Cósmica num plano terreno.

Sem essa
ancoragem não é possível a renovação do mundo. Assim foi no passado e será agora
como é em todos os tempos dentro da eternidade. Esta é a Lei.

Falaremos
disso em outro capítulo.

Permaneçam na Paz.

Saudações da
Luz,
Shima