Participe de nossos abaixo-assinados
Petição Pública
Prezado Leitor, sua participação é muito importante para nós. Pedimos que, no site www.peticaopublica.com.br,
para cada abaixo-assinado de que você queira participar, digite seu nome completo, RG ou CPF e e-mail. Aproveite para recomendar o site a sua rede de contatos. Obrigada.
Lista de Links
Sala de atendimento
Clique na porta
para acessar Porta

Visite www.avaaz.org/po e assine a petição antes da Conferência Emergencial sobre o Clima, em 23/9/14

Caros amigos,

Eu posso dizer, honestamente, que essa é a petição mais importante que nós já fizemos.

Desculpem pelo linguajar, mas um cientista importante acabou de declarar que estaremos todos ferrados se o aquecimento global passar a liberar quantidades gigantescas de gás metano da região de tundra, no círculo polar ártico. A ONU sabe que essa é uma das várias ameaças de catástrofes climáticas que estamos enfrentando, e por isso convocou os principais chefes de Estado para Nova York para uma reunião de emergência.

Centenas de milhares de membros da Avaaz irão às ruas para a Caminhada Global pelo Clima pouco antes da reunião de cúpula da ONU. Nesse dia, queremos ter em mãos a maior petição da Avaaz de todos os tempos, pedindo a única solução possível: mobilizar o mundo para tornar suas fontes de energia 100% limpas. Adicione sua voz e encaminhe para todos:

Seja a bomba de metano no Ártico, a rápida acidificação dos oceanos ou as enchentes apocalípticas, as mudanças climáticas são a maior ameaça enfrentada pela humanidade atualmente, e nós precisamos da maior petição já feita como resposta. O número de assinaturas será lido para todos os líderes presentes à reunião, publicado em centenas de matérias na imprensa e entregue por nossas caminhadas no mundo todo.

Energia 100% limpa é uma meta realista. Hoje, 20% da energia mundial vem de fontes de energia limpa, e a energia solar é mais barata do que carvão em muitos países! Precisamos apenas conseguir que nossos governantes concordem em colocar o pé no acelerador.

Estamos nos preparando para a maior mobilização pelo clima da história no dia 21 de setembro. Centenas de eventos estão sendo organizados e centenas de milhares de pessoas se inscreveram para participar. Mas os eventos têm como objetivo entregar nossa petição aos tomadores de decisão. Vamos fazer desse o maior apelo por medidas já feito. Junte-se agora e compartilhe com todo mundo – assine a petição no Site da Avaaz

Nós somos todos diferentes, e nossa diversidade é linda. Mas quem quer que sejamos e onde quer que estejamos, as mudanças climáticas ameaçam tudo o que amamos – e isso nos une. Vamos, juntos, lutar.

Com esperança,

Ricken, Danny, Lisa, Judy, Alex, Iain e o restante da equipe da Avaaz

Fonte: Avaaz

Comentários.

Os 22 Raios da Grande Fraternidade Branca

RELAÇÃO DOS 22 RAIOS DA FRATERNIDADE BRANCA

                           

1º RAIO — AZUL
VIRTUDES — Vontade Divina, fé, felicidade, equilíbrio, paz e criação cósmica.

DESENVOLVE — Iniciativa, proteção, poder, força interior, perseverança.
PERTENCE — Poder Executivo.
ARCANJO — Miguel e Fé.
ELOHIM — Hércules e Amazon.
MESTRES — El Morya e Miriam, passando para o Lord Sírius o encargo divino.
CARACTERÍSTICAS NOS SERES NÃO EVOLUÍDOS: Voluntariedade, agressividade, desejo de dominar. Este raio tem sido utilizado pelas forças involutivas junto da energia do vermelho, também desvirtuada, para controlar e manipular a humanidade frente a baixas vibrações. Muitos canais vibram com esta energia diante da ação dos Mestres El Morya e Miriam, que agora Lord Sírius passa a manifestar para a atualização da nova ramificação do espectro azul dentro dos atuais 22 raios.

2º RAIO — AMARELO (na tonalidade Amarelo-Dourado)
VIRTUDES — Inteligência, iluminação interior, sabedoria.
DESENVOLVE — Sabedoria, intuição, força mental.
PERTENCE — Maestros e estudantes.
ARCANJO — Jofiel e Constância.
ELOHIM — Cassiopéia e Minerva.

M
ESTRES — Lanto e Kwan Yin.
CARACTERÍSTICAS NOS SERES NÃO EVOLUÍDOS: Orgulho intelectual, acúmulo de informações por parte das pessoas que empregam o mental e deixam de utilizar o cardíaco, considerando isso fraqueza. Está relacionado ao despertar da Chama Trina nas pessoas mais sensíveis, que estão se espiritualizando.

3º RAIO — ROSA
VIRTUDES — Amor, pureza, beleza, opulência, coesão.
DESENVOLVE — Amor divino, tolerância, adoração por tudo aquilo que o cerca. PERTENCE — Pacifistas e árbitros.
ARCANJO — Chamuel e Caridade.
ELOHIM — Orion e Angélica.
MESTRES — Lady Rowena e Paulo Veronezi.
CARACTERÍSTICAS NOS SERES NÃO EVOLUÍDOS: Amor carnal, excesso de sensualidade, libertinagem, desequilíbrio psíquico. Este aspecto está sendo equilibrado pela ação de Krishna e Mihael do 15º Raio Rosa-Choque, que é uma divisão direta do 3º Raio Rosado. 

4º RAIO — CRISTAL
VIRTUDES — Ascensão, pureza, ressurreição.
DESENVOLVE — Artes, música, pintura.
PERTENCE — Artistas em geral (os mais espiritualizados).
ARCANJO — Gabriel e Esperança.
ELOHIM — Claridade e Ashtréia.
MESTRES — Serapys Bey e Lis.
CARACTERÍSTICAS NOS SERES NÃO EVOLUÍDOS: Vícios, boemia, pessoas sem amor espiritual pela vida, colocam nos outros a culpa daquilo que elas não querem enxergar, e não aceitam seus defeitos O Raio Marfim Radiante de Gautama ajuda estas pessoas, associado ao Cristal, a restaurar o equilíbrio interno e a resolver a polaridade psíquica que essas pessoas não controlam. O Raio Marfim é na realidade uma subdivisão do Raio Cristal e Branco.

5º RAIO — VERDE
VIRTUDES — Verdade, cura, consagração, concentração.
DESENVOLVE — Ciências em geral ou específicas, principalmente a medicina. PERTENCE — Médicos, inventores e músicos.
ARCANJO — Mãe Maria e Raphael.
ELOHIM — Vista e Cyclope.
MESTRES — Hilarion e Matilde.
CARACTERÍSTICAS NOS SERES NÃO EVOLUÍDOS: Ateus, de um modo geral. Isso se manifesta devido à origem do amarelo, que lhes concede elevado poder analítico de questionamento e ao azul de criação. Este importante raio está subdividido de forma a atuar de maneira mais dinâmica neste atual processo de reintegração crística para a humanidade presente nas múltiplas realidades da Terra e do Sistema Solar como um todo.  

6º RAIO — OURO-RUBI
VIRTUDES — Paz, fé interior, graça, providência, adoração.
DESENVOLVE — Culto devocional, serenidade e paciência.
PERTENCE — Sacerdotes, senadores.
ARCANJO — Uriel e Graça.
ELOHIM — Paz e Pacífica.
MESTRES — Nada e Tudo.
CARACTERÍSTICAS NOS SERES NÃO EVOLUÍDOS: Fanáticos, religiosos, pessoas esnobes, esta energia psíquica da humanidade está sendo explorada por grupos involutivos e por grandes mestres de luz, para direcionar as pessoas incultas e emocionalmente inocentes no atual processo de depuração energética do planeta. Uma grande batalha que Uriel e Graça transmutam diariamente unidos ao potencial de Paz e Pacífica no despertar da humanidade de forma ativa dentro dos corpos sutis das humanidades presentes na Terra.

7º RAIO — VIOLETA
VIRTUDES — Transmutação, misericórdia, libertação, perdão.
DESENVOLVE — Cultura, refinamento, diplomacia, prudência.
PERTENCE — Místicos, diplomatas, damas e cavalheiros.
ARCANJO — Ezequiel e Santa Ametista.
ELOHIM — Arcturos e Rítmica.
MESTRES — Saint Germain e Pórtia (Neida — Deusa da Oportunidade). CARACTERÍSTICAS NOS SERES NÃO EVOLUÍDOS: Vaidade, usura. Raio de maior atuação no planeta, para transmutar e requalificar todas as energias de cura e de reintegração com o Cristo, desde o plano molecular até o psíquico, emocional e mental das humanidades presentes na Terra.

8º RAIO — BRANCO
VIRTUDES — Supremacia espiritual, iluminação e despertar cósmico.
DESENVOLVE — Ascensão, conhecimento, disciplina, mestria cósmica, proteção. PERTENCE — Líderes (interligam-se diretamente ao 4º Raio).
DISTRIBUIDOR — Paulo Veneziano.
DEVA — Dorniel.
DIRETORES — Ossok e Liberdade.
Este Raio está direcionado de forma a complementar todos os 22 Raios atualmente voltados para a Terra, pois ele contém o potencial de todo o espectro de cores de Alfa & Ômega; por essa razão é um ponto de encontro de todas as energias sutis de resgate planetário dos orbes de luz atuantes na Terra, através dos avatares, emissários encarnados e das hostes maiores de luz extraterrenas e multidimensionais.

9º RAIO — ROSA-VIOLETA
VIRTUDES — Beleza, pureza, diplomacia.
DESENVOLVE — Transmutação física.
PERTENCE — Naturalistas, economistas.
DISTRIBUIDOR — Zecer
DIRETORES — Jerevox e Ananda.
Este Raio está relacionado com a nova codificação do GNA e toda a transmutação celular que se processa com o aumento das radiações solares, que deverão se intensificar a cada dia mais. Este raio ajuda no processo de cristalização dos aspectos divinos de imortalidade sobre a codificação original que deve ser inserida em milhões de humanos na virada de milênio.

10º RAIO — DOURADO
DESENVOLVE — Amor universal, transmutação cósmica.
PERTENCE — Hoste angélica e Seres extraplanetários.
DISTRIBUIDOR — Oromassis.
DEVAS — Alvorada e Ismael.
DIRETORES — Oros e Chama.
Também presente de forma poderosa neste momento, foi a energia que anunciou a presença direta do complemento Mahatma para nossa humanidade, unindo-se ao aspecto crístico e búdico da Consciência Crística Universal, que é trina unida à energia Mahatma. Uma poderosa força de reintegração e despertar para todas as formas de vida deste Sistema Solar. O Raio Dourado manifesta amor e transmutação acima dos padrões comuns que podem ser concebidos pela mente humana, mas que estão no poder de amar que cada ser possui, ativando a sua Chama Trina. Esta transformação complementa diretamente a Chama Violeta e sutiliza todas as energias diretamente na Fonte dos registros no corpo Causal, reabilitando essas energias diante da Presença Eu Sou de cada ser, pois o dourado ativa o poder de realinhamento geométrico de cada elemental do universo, purificando com isso as energias cármicas. Deve ser usado em parceria com o Violeta.  

      

11º RAIO — VIOLETA-PRATA-DOURADO
DESENVOLVE — A união dos Raios Gêmeos.
PERTENCE — Os representantes da Nova Era de Ouro.
DISTRIBUIDOR — Surya.
DEVAS — Erniel e Gemili.
DIRETORES — Apolo e Diana.
Restabelece a ordem crística das partículas presentes na Terra com a sua contraparte sideral, que nem sempre necessita estar encarnada. O equilíbrio que o Raio Marfim magnetiza está relacionado com este raio de união e de amor, pois a nova realidade terrena dentro da 5ª Dimensão que, em breve, se manifestará para milhões de humanos da atual realidade, exige a participação da outra parte divina. O Eu Sou está diretamente ligado a esse processo que Apolo e Diana coordenam para acelerar os processos intrínsecos de cada discípulo da luz e de toda a humanidade de forma geral.  

12º RAIO — AZUL-PRATEADO
DESENVOLVE — Amor universal.
PERTENCE — Templos diversos.
DISTRIBUIDOR — Voltica Parcos.
DEVAS — Salatiel e Pureza.
DIRETORES — João e Maria.
Energia de partida para a ação do 17º Raio Prateado, pois somente com o poder do Raio Azul-Prateado é possível reestruturar as malhas magnéticas do planeta e da humanidade, permitindo assim que o GNA seja inserido pela via espiritual para as camadas mais densas de cada ser humano. Assim, este raio está ligado ao processo de despertar de uma nova realidade genética e criadora, na qual a 5ª Dimensão é a perspectiva de ação desta nova raça que tem sido plasmada pelos orbes maiores.

13º RAIO — CORAL-SALMÃO
DIRETORES — Hélios e Vesta
DESENVOLVE — O Resgate dos cetáceos e almas de Sírius na Terra, ajudando no plano emocional a ser restabelecido nas interações com Alfa e Ômega e os outros membros da Galáxia. Muitas formas de vida presentes na egrégora da Terra são de Sírius e devem se reintegrar com a Mônada maior desse sistema estelar, que é importante no contexto sideral, assim como os outros.  

 

14º RAIO — VERDE-HORTELÃ
DIRETORES — Vida e Quântica.
DESENVOLVE — Reconstituição da biosfera, cura do meio ambiente planetário. Este raio está diretamente sob a ação do 5º Raio e dos seus mestres, porém foi efetuado um desdobramento para permitir uma maior dinâmica na ação das energias e grupos do espectro verde. A ação de cura é muito mais abrangente do que pode ser interpretado pela mente humana, tudo que visa à harmonização do universo é um meio de cura.

15º RAIO — ROSA-CHOQUE
DIRETORES — Krishna e Mihael.
DESENVOLVE — Sublimação da energia sexual e transmutação das energias inferiores; trata-se de uma radiação que busca reequilibrar o aspecto sagrado do ato sexual e da sua real importância na dispersão energética nos corpos superiores e sutis que cada casal ativa com a energia sexual. O amor é a grande chave deste raio, pois somente através do verdadeiro amor é possível a sublimação real dos instintos sexuais em amor iluminado. Estes Mestres e Deuses Criadores da estrutura arcangélica, inseridos na consciência global de Micah, são manifestadores deste resgate devido à sua ação na Terra com as três primeiras raças-raízes. A energia de ambos tem sido desvirtuada pela ignorância, eles voltaram para resgatar junto a seus antigos afilhados a verdadeira energia a ser inserida na estrutura global quanto ao potencial do sexo e das energias divinas que geram vida; o poder de gerar vida está diretamente inserido nesse contexto junto a essas divindades maiores de puro amor crístico e búdico que elas representam nas escalas maiores.

16º RAIO — MARFIM-RADIANTE
DIRETORES — Sidarta Gautama.
DESENVOLVE — Equilíbrio da polaridade e o caminho do meio para a iluminação pessoal, como ele apresentou para a humanidade; este raio ativa o despertar crístico, pois a energia búdica é um passo para a sabedoria rumo à consciência crística da presença Eu Sou e do Cristo Cósmico que fica logo acima do Eu Superior ou Eu Sou. Este raio é um dos que maior dispersão sofre neste momento do salto quântico, pois a humanidade conturbada e perdida dentro da polaridade tão ativa, deve se render ao amor interno e buscar as respostas dentro de sua egrégora na Chama Trina, que irradia este raio mediante a sublimação com o Dourado e o Branco que o Eu Sou irradia constantemente para os corpos inferiores até o plano físico. O Senhor Gautama, que acumula diversos cargos espirituais, possui uma grande equipe de seres búdicos que sustentam a ascensão da Terra junto com as energias de Sananda e de toda a equipe espiritual da Fraternidade Branca e das outras Fraternidades de Luz aqui presentes. Krishna e Mihael estão diretamente atraídos e atuantes com este raio, pois para sublimar a energia sexual em amor universal deve-se empregar o potencial da energia búdica do Marfim-Radiante para que seus discípulos e a humanidade aprendam a se desprender das forças involutivas que utilizam o sexo como fontes de renda e de massificação intelectual da humanidade de forma geral. Existe um trabalho em equipe, por parte dos 22 Raios e dos 44 Mestres e Diretores para a elevação da consciência planetária como um todo.

17º RAIO — PRATEADO
DIRETOR — Anjo HE
DESENVOLVE — Suporte da vida na matéria, ligação com o cordão prateado planetário, este Raio tem por objetivo restaurar a conexão divina do cordão prateado planetário e de todas as formas de vida nele existentes, pois é através dele que o aspecto físico recebe a implantação do GNA, oferecido à humanidade neste momento de transição. Este anjo da cabala faz a ancoragem de uma equipe de limpeza no plano astral denso para que as energias obsessoras não interfiram mais no desenvolvimento da consciência crística que está sendo sustentada e ampliada pela orbe maior. Sua função é colaborar com a hierarquia do 5º Raio diretamente com Mãe Maria, Rafael, Cyclope, Vista, Hilarion e Matilde na dispersão das forças iluminadas de coesão da luz de cada ser mediante o aumento do fluxo do cordão prateado de forma a potencializar as mudanças genéticas, que se revertem nos aspectos mental, emocional e psíquico da humanidade, no caminho da reintegração com o Cristo interno e com o salto quântico que está sendo processado por cada um de nós nos níveis internos.

18º RAIO — VERMELHO-VENEZIANO
DIRETORES — Orbamal e Andebaran.
DESENVOLVE — Alinhamento e transmutação da Kundaline, renovação do magnetismo; está relacionado com a renovação da estrutura emocional e despertar de consciência, ancorando as novas matrizes do GNA, que também são enviadas pela Kundaline planetária, pois essa energia é um aspecto crístico da Mãe Terra, que é a outra polaridade que garante a dualidade cósmica em nossa realidade física e sutil neste planeta. Este vermelho é um realinhamento dos verdadeiros valores com a consciência planetária visando um bem-estar com a mãe que nos sustenta e uma intenção direta com tudo o que ela gera em nossas vidas. A renovação dos valores da Kundaline é um aspecto importante no burilamento da nossa consciência rumo à reintegração com nossos irmãos estelares, pois para a Federação e as consciências que buscam o Cristo, deve-se integrar o aspecto da Kundaline como algo divino e belo, pois é a sustentação da Mãe Criadora que garante a estabilidade nesta realidade e nas que se seguem antes de voltarmos ao núcleo espacial junto com o Eu Sou de cada um e integrar assim as esferas maiores das hierarquias celestes do espírito.

19º RAIO — LARANJA VULCÂNICO
DIRETORES — Lamudiel e Magnetron.
DESENVOLVE — Cura magnética sísmica, alinhamento das placas tectônicas e telúricas da Terra, um processo de reestabilização das forças internas da Terra, frente às ações nucleares da humanidade; uma energia de cura planetária e de recondicionamento da consciência planetária, que por sua vez se acopla diretamente à transformação da Kundaline, unindo forças com Orbamal e Andebaran que são arquétipos do mundo dos Elohim secundários que vivenciaram processos semelhantes em milhares de mundos desta Via Láctea, junto com seus companheiros Lamudiel e Magnetron, que foi amigo de Sandalfon em inúmeras tarefas de restauração atômica da malha temporal da Terra e de outros mundos; unem suas forças para restabelecer a ordem planetária para um novo ciclo, após o salto quântico, onde novas energias e forças gravitacionais far-se-ão presentes, resgatando no agora eterno presente o potencial crístico da Terra para que possa efetuar um salto harmônico sem maiores mudanças catastróficas como muitos têm vibrado. Este aspecto é importante para garantir as mudanças dentro da lei do amor universal e não pela irradiação dos aspectos emocionais da humanidade, uma purificação planetária e uma depuração de todos os Elementais do planeta estão inseridas nestes raios complementares aos antigos 12 raios.

20º RAIO — LÁPIS LAZULI
DIRETORES — El Morya e Miriam.
DESENVOLVE — Conexão com a Fonte na mônada pessoal, regresso ao cosmos através da nova codificação criativa que está sendo irradiada por toda a fraternidade sideral para este mundo, pois cada um é filho do Criador, e todos têm o direito de se reintegrar ao mesmo. Os Mestres Morya e Miriam continuam atuando no 1º Raio Azul que se desmembrou para permitir uma maior atuação dinâmica sobre todos os aspectos a serem irradiados neste ciclo terreno. Lord Sírius, que está atuando como Chohan do 1º Raio é uma contraparte direta de El Morya e Miriam; portanto, para muitas pessoas nada mudou, pois a mudança só existe nos planos maiores onde se direciona uma nova proposta das radiações para o despertar da humanidade. Esta conexão é feita através da radiação crística de cada Eu Sou via cordão prateado e dourado de cada ser e via sublimação das energias densas que cada ser humano gera no dia-a-dia. Por essa razão é uma energia para meditação e introspecção profunda, onde poderão ser desvelados os véus de Maya que cada um possui em sua vida diária. Quando a energia da Mônada de cada ser se aprofunda dentro da intuição, existe uma conexão direta com estes mestres e revelações de importância são manifestadas no plano psíquico e emocional, que passam a permear a realidade mental de cada ser; isso é ativado através das meditações contemplativas e das meditações ativas de interiorização que devem ser efetuadas para o despertar pessoal. Morya e Miriam continuam atendendo dentro do espectro azul, portanto ativem seu potencial de visualização nesta nova cor e terão novas revelações sobre seu maravilhoso trabalho junto à humanidade terrena e estelar, que vem buscar seus parentes encarnados, para leva-los de volta a seus mundos originários.

21º RAIO — VERDE ÁGUA-MARINHA
DIRETORES — Ocean e Maria.
DESENVOLVE — Cura emocional, psíquica, cura das águas, despoluição telúrica magnética da barreira de freqüência planetária. Este novo raio, que sempre existiu, foi desmembrado para dinamizar melhor as tarefas do 5º Raio Verde, tem à frente Mãe Maria e Ocean que é um outro aspecto divino do amado Arcanjo Rafael na transmutação direta das energias desarmônicas do elemento emocional, junto com a energia dos Elohim Cyclope e Vista, formando assim uma nova identidade que se funde com o potencial dos quatro para transmutar e resgatar todo o aspecto da geometria sagrada em cada molécula do planeta Terra e dos seres que nela habitam. Lembrem que o elemento água representa o aspecto emocional do planeta e dos seres humanos também. No atual processo cíclico da humanidade este raio atua de forma poderosa para conter as revoltas e o desequilíbrio que as forças involutivas insistem em gerar e expressar sobre a humanidade, e no plano astral, onde as forças são mais ativas. O trabalho deste raio está relacionado com a Chama Violeta de transmutação de todos os planos sutis que complementam a barreira de freqüência que envolve a Terra.

22º RAIO — ÍNDIGO BLUE
DIRETORES — Shtareer e Eliha.
DESENVOLVE — Poder Universal em ação, energia galáctica de dispersão na mudança orbital do Sistema Solar, preparação para o salto quântico solar. Está relacionado com a transformação de valores psíquicos da humanidade e reúne parte de cada um dos aspectos dos raios anteriores, para que uma nova consciência crística e de amadurecimento se manifeste de forma íntegra em cada ser da criação deste Sistema Solar. É uma derivação do Azul do Arcanjo Miguel, portanto está diretamente associado à energia de criação do nosso Logos Solar, que é o Arcanjo Miguel nos planos multidimensionais, unindo a força de Shtareer e Eliha que já efetuaram essas funções em outras localidades de Orvoton e em outros Superuniversos. É a manifestação da vontade do Pai-Mãe Universal direcionada para o nosso quadrante, ligando as energias dos Anciãos dos Dias, dos Melchizedeks e do próprio Micah e Emannuel nos planos multidimensionais para as nossas realidades das 7 Mônadas sustentadas pela Divina Presença Eu Sou, que cada ser possui por decreto divino. Este raio traz ao Sistema Solar a energia sagrada das Mônadas originais de cada raça presente, é um retorno à fonte por parte de milhares de consciências que já estão prontas para seguir rumo a novas diretrizes maiores da divindade que cada uma é. Ser Deus Criador em ação nas múltiplas realidades de forma consciente e onipresente é a tarefa de muitas almas que interagem com este raio sagrado e transmutam as energias pessoais nos outros raios anteriores e rumam a integrar os 49 raios do Sol Central de cada aspecto monádico e crístico; unido à energia Mahatma e búdica, fortalece a união com a divindade maior que cada ser possui diante da ação do ajustador de pensamento.

Que a Luz Crística esteja presente na vida de cada um, ajudando a plasmar
um reto pensar e, conseqüentemente, um reto viver.

Fonte: Caminhos de Luz

Comentários.

Conheça os personagens do Livro “A Vida nas Colônias Espirituais” que vivem nas dimensões superiores

 

 

 

 

 

 

O Mestre El Morya teve Sua última encarnação na Terra como El Morya Khan, filho e herdeiro do trono do monarca Ali Vardi Khan, em Bangladesh. Como sucessor do seu pai, não seguiu essa estrutura que estava a si destinada. Dedicou-se a ser um líder religioso pelo restante da sua vida, passando pelos portais da iniciação em 1888. Teve esse Mestre, outras encarnações importantes na Terra, sempre conduzindo as pessoas e liderando o desenvolvimento da Vontade Divina.
Alguns Mestres fazem a opção de utilização de corpos semi-materializados para melhor desenvolver seu trabalho na Terra. O Mestre El Morya é um príncipe Rajput, possui um corpo indiano e vive em um vale dos Himalaias. Alto, majestoso e com uma “presença imponente”, possui cabelos e barba escuros e olhos de um azul bastante fechado, faiscantes e penetrantes.

 

 

 

 

 

 

 

 

DO PRIMEIRO RAIO – AZUL

Mestres  Ascensos acima são El  Morya e Miriam

 

Os Elohims do Raio : Hércules e Amazônia


 

 

 

 

 

Dia da Semana: Domingo

 

Acima, o Arcanjo do Raio, Miguel, e sua chama gêmea, Fé

 

Virtudes: Fé, Força, Poder, Proteção, Vontade Divina, Iniciativa, Liderança, Proteção, Vontade-Equilíbrio.
Fascínios (Características de ego-dominância): Agressividade, Desejo de Dominar, Controle
Profissões Comuns: Executivos, Líderes, Administradores, Policiais, Advogados (defesa, proteção e comando)

O Primeiro raio é azul e representa a Vontade de Deus, fé, proteção, força e poder. O Mestre Ascensionado El Morya é o Diretor. As pessoas que pertencem a este raio estão, geralmente, na chefia e possuem ilimitadas forças de poder e capacidade de “executar alguma coisa”.

Aspectos Superiores:

Força abundante, coragem, firmeza, veracidade e destemor combinados com uma capacidade peculiar de dirigir ou governar.

As pessoas que atuam no 1° raio trazem enorme potencial de influenciar as pessoas com quem entram em contato ao irradiar, mediante suas férreas vontades, a própria Vontade do Universo. Se você julga isso aplicável a si mesmo, saiba que grande parte da sua missão está em seu poder de irradiar, implementar e atualizar a vontade do bem neste planeta. Sua mente é um grande e forte canal para as idéias que fluem da mente Universal, e o uso dessa capacidade faz parte do seu potencial. O funcionamento em sua mais alta capacidade deste raio, com o qual você esta mais sintonizado, levará inevitavelmente a realização do seu propósito de evolução mediante a descoberta e o acolhimento da sua função especifica perante o todo e, portanto, de sua própria maior realização pessoal.

Nunca se esqueça , todavia, de que estar num raio particular não significa necessariamente que você vá seguir a profissão geralmente associada a este raio. Mas as profusões dos raios servirão de guia útil. Quer encontre ou não seu propósito nas expressões profissionais mais prováveis de um dado raio, você levara certas qualidades desse raio para a sua linha escolhida de trabalho. Concentre-se em trazer a luz os aspectos mais elevados e espiritualizados do seu raio, e você vai por certo encontrar o lugar apropriado para manifestar essas qualidades. Esses quadros pretendem ser apenas um esboço amplo, e algumas das muitas subdivisões ou níveis podem ser analisados.

Aspectos Inferiores:

Amor ao poder e à autoridade, orgulho, ambição egoísta, impaciência, centração em si mesmo, separatividade, indiferença.

Aquele que é ligado ao primeiro raio e que esta na arena política e/ou governamental possui boas oportunidades de usar a sua posição para promover os planos Divinos e para servir a humanidade em larga escala. Entretanto, como opera a partir de uma base do primeiro raio, precisa ter particular atenção para não serem vitimado pelos aspectos fascinantes desse raio em particular. Se você os vir manifestando-se em você, na qualidade de Trabalhador da Luz e de ser no caminho da evolução, será sua responsabilidade de afastar esses elementos do ego negativo a fim de poder realizar sua missão ascensional no mais elevado grau possível.

O amor ao poder precisara ser transformado em amor ao serviço. O poder pessoal, uma das grandes chaves do caminho, deve suplantar o amor à autoridade sobre outras pessoas, grupos de pessoas ou nações. Um ser do primeiro raio tem de aprender a incorporar as qualidades mais importantes do amor/sabedoria, que são parte tão importante do segundo raio, para que a humanidade possa superar o orgulho e a ambição egoísta. Quanto mais sintonizada a pessoa estiver com o espírito, com a unidade e com a unicidade, tanto mais facilmente os sentimentos de centração em si mesma, de separatividade e do egoísmo cedem lugar ao sentido mais amplo da unidade. Você deve, portanto nunca cessar de se esforçar para “manter a mente sempre firme na luz” e para buscar uma sintonia cada vez mais elevada com sua poderosa Presença do Eu Sou. Procure ativar as qualidades da ternura, da humildade, da simpatia, da tolerância e da paciência.

Em ultima análise, qualquer que seja o raio no qual atuam a sua alma, a sua mônada ou a sua personalidade, as qualidades de outros raios têm de ser combinadas com a influência profunda do foco do seu raio primário de modo que se possa trazer à luz uma harmonia maior. Os aspectos fascinantes, contudo, são a maior área possível de fraqueza e de perigo, precisando ser evitados a todo custo. Lembre-se que o mesmo raio que traz o maior potencial de expansão oculta também o maior potencial de entrega ao seu aspecto fascinante especifico.

DO SEGUNDO RAIO – AMARELO DOURADO

O Mestre Kut Humi, como seu “irmão” El Morya, usa um corpo nobre cashmere. Dono de uma considerável altura, possui tez clara, cabelos e barba loiros e olhos azuis repletos de Luz. Vive também num vale dos Himalaias próximo ao Mestre El Morya. Teve sua última encarnação na pessoa do Sábio Kuthumi Cal Sing, onde morava ao pé das Montanhas Himalaias, numa localidade chamada Shigatze, vivendo 320 anos. Sua Ascensão ocorreu em 1888, continuando ainda por 4 anos a ensinar os seus discípulos na Índia.

Os Mestres Ascensos são  Kwan Yin(*) e Confucio

Os Arcanjos são Jofiel e Constância


(*Kwan Yin também trabalha com o sétimo raio (violeta), trazendo uma característica mais amena ao mesmo para quem prefere que as mudanças sejam mais lentas e sutis. A chama violeta juntamente com a dourada traz um tom mais leve de lavanda, que é a chama mais comumente trazida pela mestra. Apesar da chama cor de lavanda também provocar transmutação e mudanças como a violeta, estas mudanças ocorrem de uma forma bem mais sutil e levam mais tempo para acontecer.)

Elohim: Cassiopéia e Minerva

Dia da Semana: Segunda-feira
Virtudes: Sabedoria, Iluminação, Amor, Paz, Intuição, Inteligência.
Fascínios (Características de ego-dominância): Orgulho e Acumulação de Conhecimento sem transmitir.
Profissões Comuns: Professores, Estudantes, Instrutores.

O 2o raio é cor de ouro e representa Sabedoria, equilíbrio e iluminação. Exercia esta função o Mestre Ascensionado Kuthumi (São Francisco de Assis) até a Sua ascensão como Instrutor do Mundo, juntamente com o Mestre Jesus. O Mestre Ascensionado Lanto sucedeu o Mestre Kuthumi tendo sido também elevado ao cargo de Instrutor do Mundo. O Mestre Ascensionado Confúcio é o atual Diretor deste raio que é relacionado com professores, ensinamentos – e pessoas de coração compreensivo.

Aspectos Superiores:

Capacidade inata de irradiar e de atrair outras pessoas que buscam a verdade, facilidade de ensinar e aprender, personificação do amor e da sabedoria

As pessoas encarnadas que funcionam no segundo raio como seu foco primordial trazem em sua essência uma enorme quantidade de energia amorosa. Eles têm o desejo de conhecimento em sua forma mais pura. No caso dos seres que já se encontram na condição de mestre encarnado, a sabedoria do plano divino está ancorada em seu ser
É o raio do professor no sentido mais elevado da palavra. Esse aspecto, que é parte tão intrínseca deste raio, flui por meio de qualquer linha de trabalho ou profissão que você descubra ser, em ultima analise, a melhor maneira dos seres do segundo raio realizarem sua evolução universal.
A capacidade de educar das pessoas sob a influencia dos segundo raio é parte de sua natureza seja qual for a escolha para manifestá-la.

Aspectos Inferiores:

Medo, negatividade, sentimento de inferioridade e de impropriedade, depressão, ansiedade constante, autopiedade, inércia, modéstia excessiva e ineficácia

Os segundo Raio, sendo o do amor/sabedoria, é o raio que compreende as próprias forças do nosso sistema solar, oferece muito a alma. Contudo, como sucede com todos os raios, este traz seu próprio conjunto de aspectos fascinantes contra os quais devemos nos guardar diligentemente. Por ser ele o raio que governa o sistema solar, os aspectos fascinantes desse raio especifico afetam a todos que estão no caminho da luz em um ou outro grau, ainda que aqueles cuja alma, mônada ou estrutura de personalidade se acham sobre esse raio sejam mais vulneráveis as suas fraquezas.

A forma mais eficaz de reverter as tendências negativas é invocar as qualidades opostas, o que recebe o nome de cura atitudinal. Por conseguinte, onde houver medo, a coragem deve suplantar; onde houver negatividade, tem-se de cultivar uma atitude positiva; se alguém é particularmente propenso a ficar deprimido, podemos substituir essa propensão ao afirmar constantemente uma atitude de jubilo.

Terceiro Raio – Rosa

Os Mestres Ascensos são Paulo Veneziano e Rowena

O Mestre Paulo Veneziano, o Maha Chohan, é um dos mais belos seres da Grande Fraternidade. Muito alto, cabelos e barba dourados e olhos de um azul profundo. Utiliza um corpo de veneziano, com traços acentuados dos godos, tendo sido esta a sua última encarnação. Como Paolo de Veronese, ligado ao período renascentista italiano. Praticou o dom do discernimento estimulando a arte e ficando conhecido por suas pinturas bíblicas.


Arcanjos: Samuel (Chamuel) e Caridade (Carité)


Elohim: Órion e Angélica


Dia da Semana: Terça-feira
Virtudes: Tolerância, Amor Incondicional, Amor Puro, Beleza, Opulência, Inteligência Criativa, Adoração, Delicadeza, Diplomacia, Tolerância, Compaixão.
Fascínios (Características de ego-dominância): Ilusão de estar sempre ocupado, Desejo Carnal, Libertinagem, Controle (amor demais), falta de organização, pensar demais.
Profissões Comuns: Educadores, artistas, trabalhos que expressam beleza como design de interiores, decoração. Também como comércio e finanças (inteligência criativa).

O 3o raio é rosa e representa o Amor Divino, adoração, beleza e fraternidade.
A Mestra Ascensionada Rowena é a Diretora deste raio. As pessoas que a ele pertencem amam a beleza em todas as formas de expressão e são amáveis e compassivas.

Aspectos Superiores:

Qualidade singular de inteligência ativa com muito amor. São seres que estão em estreita sintonia com a evolução dévica ou angélica. Poder de manifestar sua visão de maneira concreta e pratica

As almas sobre atuação deste raio têm o dom peculiar de manifestar o que quer que se dediquem a fazer, podendo e devendo esse dom ser usado em toda linha de trabalho que possa ser seguida. São abençoados com a iluminação mental e com o poder de perseverar em meio a quaisquer obstáculos ou lições que devam aprender durante a vida.

Aspectos Inferiores:

Sempre ocupado, preocupação excessiva com os detalhes, materialismo, eficiência, busca ser importante tentando aparentar ser aquele que sabe. Calculista e manipulador; malignidade e interesse pessoal

É interessante notar que as finanças, o comércio e os negócios em são em larga medida as profissões do terceiro raio, e o aspecto fascinante da conspiração, da manipulação, da malignidade e do interesse por si mesmo tem amplo espaço de ação.
Como os seres humanos de modo geral regem sua vida e os negócios a partir do ego negativo, é demasiado fácil ver de que maneira isso corrompe o prodigioso potencial do terceiro raio atuar por meio de pessoas integradas e espiritualmente centradas.

Outra maneira básica de tratar os aspectos fascinantes alem da citada no primeiro raio é a invocação das energias de outro raio para trazer outra freqüência totalmente nova para a aura. Por exemplo, o raio azul é o raio da força e da coragem, e a sua invocação na vida de uma alma do terceiro raio que enfrenta a perda da fé em si mesmo terá efeitos sobre a auto-estima da pessoa e sua fé em si mesmo.

QUARTO RAIO – branco

Os Mestres Ascensos são Seraphis Bey e Lis

O Mestre Serapis Bey, ocupa um corpo grego, alto e louro embora tenha Seu trabalho desenvolvido no Egito, cujo sol deu-lhe uma tez cor de mel. Tem maneiras distintas e feições com ar contemplativo. Ocupa-se da música, arte, pintura e teatro. Trabalha através do som, da beleza e da cor. Através da beleza procura despertar os atributos gerais nos corações dos homens. Este grande chamado prende-se ao aprendizado de uma arte bem maior que é a expressão de genialidade que combinada com a perfeição elevam os discípulos às alturas. Teve sua última encarnação como Amenhotep III, Faraó do Egito, construindo um templo físico situado em Luxor, às margens do Rio Nilo, dedicado ao microcosmo ou homem. Este Mestre lembra que aquilo que criticamos nos outros, poderá ser a base de nossa própria miséria.

Os Arcanjos deste raio são Gabriel e Esperança
Os Elohins são Claire e Astréa

Dia da Semana: Quarta-feira
Virtudes: Pureza, transparência, ascensão, ressurreição, beleza, senso artístico e estético, harmonia, pureza.
Fascínios (Características de ego-dominância): boêmios, sentimentalistas, procrastinação (não-ação), muito pacifistas,
Profissões Comuns: Artistas, músicos, pintores.

O 4o raio é branco e representa a Pureza, a ressurreição e a ascensão. É seu Diretor o Mestre Ascensionado Serapis Bey. As pessoas que pertencem a este raio são artistas, músicos, arquitetos e são dotados de grande perseverança.

Aspectos Superiores:

Desenvolvimento artístico numa variedade de artes, fortes paixões, simpatia, coragem e generosidade.

Aqueles que estão sintonizados com este raio são pessoas que possuem a capacidade de visualizar a beleza em todas as formas. É essencialmente o raio dos artistas, são seres que possuem o poder de levar os que estão a sua volta à comunhão espiritual através da arte, Michelangelo, Mozart e Leonardo da Vinci são exemplos expoentes desse raio.

Esse raio possui também muita ligação com o reino dévico, especialmente com a energia do Arcanjo Gabriel.

A energia deste raio inspira a assimilação do aprendizado e em alguns momentos pode ser considerado o raio que ensina através da harmonia decorrente do conflito.  Existe também a fonte de energia que sustenta esse raio por meio da pureza de sentimentos e ações.

Aspectos Inferiores:

Interesse e energia difusos, sem capacidade prática e com imaginação fértil, mutabilidade, imprecisão e falta de objetividade, conflito interior e exterior constante. Provoca discussões; insatisfação por causa da resposta sensível diante da beleza e daquilo que é mais elevado e melhor.

A maioria dos aspectos fascinantes deste raio é de natureza emocional, o principal perigo associado é o de se perder numa abordagem sonhadora e imprecisa sobre a vida sem nenhuma ancora solida. Possuem seu corpo emocional hipersensível e tem dificuldade em se proteger das energias a sua volta.

A invocação da energia do primeiro raio e do Arcanjo Miguel, trazendo força da vontade dinâmica e proteção é uma das melhores alternativas para combater os aspectos inferiores desse raio.

QUINTO RAIO – VERDE

Os Mestres Ascensos são Hilarion e Palas Athenas

O Mestre Hilarion, representante das ciências concretas, da magia, pesquisas psíquicas, movimentos espiritualistas, ciência cristã e atividades literárias. Repassou livros a Mabel Colins (Luz no Caminho) e H. P. Blavatsky (A Vóz do Silêncio). Possui um corpo grego antigo, nariz aquilino, fronte larga, sendo de uma beleza admirável. Aparenta ser o mais jovem dos membros da Grande Fraternidade. Teve sua última encarnação como Paulo de Tarso, que tanto perseguiu os cristãos. Converteu-se ao cristianismo, aprendendo dolorosamente que a justiça jamais pode ser efetuada apenas com base em argumentos que podem ser falsos. Agora em corpo de um grego vive no Egito. Aparenta ser bastante moço. Normalmente repassa suas lições apresentando-se fisicamente, fato que os discípulos deverão acostumar-se.

Os Arcanjos são Rafael e Mãe Maria
Os Elohins são Vista e Cristal
SEXTO RAIO – RUBI
Os Mestres Ascensos são Nada e Tudo

Mestra Nada, completou sua ascensão no ano 700 a.C. através da Chama Rosa do Amor Divino. Ainda na Terra, pertencia a uma família da Mesopotâmia e possuía irmãs ligadas a área artística. Ainda pequena, sentia-se deficiente ante as irmãs. Tendo como instrutora a Bem-Amada Caridade, passava horas em silêncio irradiando para as irmãs o Amor Impessoal. O talento da dança, canto, declamação ia crescendo nas suas irmãs. As mesmas nunca ficaram sabendo que ela tão pequena ainda as ajudava no crescimento dessas qualidades. Aprendeu nessa época o que significava seu nome, NADA. Do nada, aprendeu a dominar o ciúme surgido da incerteza e do medo. Enquanto suas irmãs progrediam em beleza e graça, aumentava nela a capacidade desinteressada de servir. Dedicou-se a ajudar as Ordens Espirituais que ensinavam a Doutrina de Cristo e ajudava com a irradiação do seu amor.

Os Arcanjos são Uriel e Graça
Os Elohins são Tranquilitas e Pacífica
Dia da Semana: Sexta-feira
Virtudes: Paz, devoção, Misericórdia, Curas. Pessoas deste raio gostam de rituais e geralmente preferem religião organizada. Providência, devoção, serenidade, paciência.
Fascínios (Características de ego-dominância): Fanatismo religioso, dogma, rigidez consigo mesmo e com outros, perfeccionismo, dificuldade de aceitar mudanças, repressão sexual.
Profissões Comuns: Sacerdotes, Mediunidade, Líderes Religiosos.
O 6o raio é de cores vermelho-rubi e ouro, e representa a Paz, colaboração e dedicação à vida.O Mestre Jesus era seu Diretor até há pouco tempo, quando foi Ascensionado a Instrutor do Mundo. Atualmente é a Mestra Nada que ocupa o cargo de Diretor do 6o Raio. Sua capacidade especial é o Amor. Freqüentemente, os que pertencem a este raio são sacerdotes, assim como pessoas com desejos ardentes, no culto divino, em servir a humanidade, e muitas vezes sem colher reconhecimento pelos serviços prestados.*Muitos pertenceram à Igreja em vidas passadas apresentando bloqueios emocionais inconscientes para prazer e abundância. Isso porque fizeram votos de castidade, celibato e pobreza nas vidas passadas, muitas vezes com contratos de sangue, e as sequelas emocionais destas “promessas” continuam nesta vida (inconscientemente) causando uma espécie de “auto-boicote” quanto à manifestação financeira, também podendo apresentar problemas sexuais como repressão sexual, impotência ou frigidez. Para dissolver estas idéias limitantes (subconscientes) provenientes destes contratos não é necessário que se lembrem das vidas passadas, nem dos votos de castidade, pobreza, sofrimento e celibato.A melhor solução é escrever novos contratos nesta vida que cancelem àqueles das outras vidas. Em outras palavras, fisicamente escreva um novo documento (ou carta ao subconsciente, ou a Deus, ou aos Anjos) declarando seu desejo de cancelar quaisquer votos de celibato, pobreza, sofrimento e castidade feitos em outras vidas, em todas as linhas de tempo, espaço e matéria, no passado, presente e futuro. Após escrever o contrato de rescisão, assinar, datar, ler em voz alta e finalmente queimá-lo. Repetir o procedimento quantas vezes forem necessárias (em dias diferentes) até sentir que o contrato da vida passada tenha sido finalmente libertado da mente subconsciente.Os resultados desta libertação da mente subconsciente podem incluir maiores manifestações financeiras, melhores relacionamentos amorosos, melhor saúde sexual (emocional e física), sensação de leveza e de que finalmente merece ser feliz e sentir prazer. Mesmo se não tiver certeza de que tenha feito ou não estes contratos nas outras vidas, não há mal algum em prosseguir com este procedimento. O máximo que irá acontecer neste caso é sua vida não apresentar melhoras, o que significaria que a razão de seus bloqueios sexuais ou financeiros não são contratos de outras vidas, e sim alguma outra causa. Assim, esta rescisão só pode ser benéfica em ambos os casos.Aspectos Superiores do Raio Rubi:Devoção, idealismo, amor, ternura, lealdade, intuição e reverência.

É a energia que Jesus manifestou sua missão, introduzindo a era do amor no planeta. São pessoas que possuem a capacidade do culto a uma figura divina ou de um líder que possa introduzir novos princípios.

Aspectos Inferiores:Fanatismo, possessividade, excesso de devoção, estreiteza mental, amor ao passado e às formas existentes, relutância em mudar, rigidez, intensidade de sentimento excessiva.

A intensidade excessiva de sentimentos, de modo geral desequilibra a pessoa do sexto raio, é preciso o desenvolvimento das energias mentais do terceiro e do quinto raio.

Precisam trabalhar também a tolerância, a serenidade, o equilíbrio e o bom senso. A energia do sexto raio está se reduzindo com o advento da nova energia do sétimo raio. O ápice da manifestação da energia do sexto raio se deu na época de Jesus e agora estamos entrando num novo milênio, onde a força motriz condutora é substituída do sexto para o sétimo raio.

SÉTIMO RAIO – VIOLETA
Os Mestres Ascensos são Saint Germain e Portia
O Mestre Saint Germain, abrange o campo dos cerimoniais mágicos. Tem um corpo muito alto, esbelto, cabelos escuros e grandes olhos castanhos/violeta, exprimindo doçura, poder e humor. Sua presença majestosa, força todos se curvarem. É de raça húngara e vivia nas montanhas Vadja Hunyad (Transilvânia), hoje em Monte Chasta,   e leia a página Saint Germain.
Os Arcanjos são Ezequiel e Ametista
Os Elohins são Arcturus e Diana
Dia da Semana:SábadoVirtudes:Compaixão, Perdão, Amor, Liberdade, Transmutação, Diplomacia, Misericórdia, Prudência, Apelos. Geralmente não necessitam de uma religião, gostam de conhecer todas mas não ficam muito em uma só. São livres. Geralmente tiveram muitas vidas na Terra, desde as civilizações antigas. Interesse por física quântica, alquimia, civilizações antigas.Fascínios (Características de ego-dominância): Vaidade, perda de paciência/esperança com a humanidade. Intolerância e julgamento. Rigidez de pensamento (“sabe-tudo”).Profissões Comuns:Místicos, Diplomatas, Alquimistas. O 7o é o raio violeta da misericórdia, transformação e Liberdade.Quem rege este raio é o Mestre Ascensionado Saint Germain (imagem abaixo), que o fará durante os próximos dois mil anos, sobre a Terra.A Chama Violetaé o instrumento que TRANSFORMA todo erro e forças imperfeitas em Perfeição. Quando a humanidade usar este instrumento com acerto e ritmicamente, a Terra será salva. As pessoas que pertencem a este raio possuem muitas aptidões e em todos os aspectos grande amor pela Liberdade.

Aspectos Superiores das pessoas influenciadas pela Chama Violeta:
Devoção, idealismo, amor, ternura, lealdade, intuição e reverência.

É o raio conhecido como o raio da ordem cerimonial. Esta introduzindo a nova era e ajudando a ancorar o céu na terra.  Os mestres deste raio trabalham a fim de manifestar o plano de maneira perfeita e cultivam as virtudes do vigor, da perseverança, da cortesia e do extremo cuidado pelos detalhes e da confiança em si mesmo.

É o raio da chama violeta transmutadora, que quando invocada, transmuta qualquer energia que esteja em desacordo com o amor incondicional.

As pessoas desse raio têm uma forte presença física em sua aparência e tendem a ter um espírito bem ancorado no físico. São abençoados com a capacidade da disciplina e da ordem, gostam de cerimônias, de rituais e de procissões. Possuem a capacidade de usar a ajuda do reino Elemental a fim levar a manifestação de seus planos no planeta.

Aspectos Inferiores:

Adesão rígida à lei e à ordem, ênfase excessiva na organização e amor ao secreto e misterioso. Psiquismo, o fascínio da cerimônia e do ritual, a superstição, um profundo interesse por profecias .

Deve-se tomar particular cuidado para os vícios deste raio, que são a intolerância, o orgulho , a estreiteza mental, o juízo superficial.

 

Outros Membros da Grande Fraternidade Branca



Sidarta Gautama foi na última encarnação filho de um príncipe indiano e teve uma instrução especial. Todas as coisas tidas como mundanas não poderiam ser-lhes reveladas, incluindo a pobreza, destruição, degeneração e morte. Tornando-se adulto, tomou consciência dos fatos que lhe haviam sido escondidos. A infelicidade do mundo e sua decadência tornaram-se prioridades para serem compreendidas por Ele. Para obter esclarecimentos, deixou esposa e filhos, bem como a segurança do palácio e saiu em busca de soluções, não somente de esclarecimentos de coisas que tanto o afligiam: os problemas humanos, e também o entendimento dele mesmo. Passou sete anos percorrendo caminhos difíceis, possíveis e impossíveis. Depois de muito procurar externamente, cansado, voltou-se para os caminhos interiores. Através da meditação, concentração e visualização, alcançou os “degraus” da iluminação. Foi um dos primeiros seres humanos que atingiu os requisitos necessários para finalmente ser iniciada a trilha ascendente dos homens, através da Fraternidade, na Terra. Seu Amor pela humanidade era tão grande que resolveu renunciar a glória de permanecer nas esferas superiores descendo a Terra para trazer ensinamentos e a maneira de compreendê-los pela prática na vida diária. A partir de sua Ascensão ao cargo de BUDA, Lord Gautama desce das “oitavas” de Luz, uma vez por ano ao Festival de Wesak, entrando em contato com a humanidade para abençoa-la.


O Mestre Maitreya, foi o segundo a atender o chamado de Sanat Kumara, ocupando o cargo hoje na Fraternidade de Cristo Cósmico

 Jesus, o bom pastor

Fonte: Site Foto de Jesus

O Mestre Sanandha, mais conhecido como Jesus, atualmente utiliza um corpo sírio; tem cabelos e barba escuros e olhos de um azul celeste. Vive próximo a Jebel Druze (Líbano). É um lingüista, falando árabe, copto, grego, turco, francês e inglês. Também conhecido como “O Mestre dos Mestres”, Jesus estruturou a base de crescimento do homem, através do estabelecimento de uma consciência de Cristo, queimando por si só, por Amor, imensa parcela do carma humano.

 

 

 

Fonte: Haja Luz (Ponte para Liberdade)
Resumo, notas e comentários de Livia Maris Jepsen® – Angel Therapy Practitioner® www.mycrystalangel.com

Sobre o Mestre “P“, pouco é permitido falar. Tem residência na América do Norte e liga-se ao trabalho do Raio Violeta. Ocupa um corpo irlandês e tem suas atividades ligadas ao campo das ciências da mente, novo pensamento. A força despendida da sua aura é tamanha que torna-se difícil fixa-la, sem o devido controle do discípulo, no pleno desempenho dos seus ensinamentos.

O Mestre Djwhal Khul (DK), trabalha sobre a orientação do Mestre Kut Humi, ajudando-o intensamente no treinamento de discípulos avançados. É conhecido como o Mensageiro dos Mestres. Alcançou seu mestrado na presente encarnação. Continua com o mesmo corpo que atingiu no Adeptado, que alcançou há poucos anos. Seu corpo é bem de um, chinês tibetano, com aparência um pouco rústica e maçãs do rosto um tanto salientes. Mora em Shingatse, próximo a seu Mestre e a El Morya. Dedica-se a movimentos filantrópicos, à Cruz Vermelha, ao trabalho de cura e ao Reino dos Devas.

O Mestre Afra, é o patrono da África e da raça negra. Afra foi o primeiro membro da raça negra a fazer a sua ascensão. Há muito tempo atrás ele sacrificou o seu nome e a sua fama para patrocinar um vasto continente e um povo poderoso. Quando Afra ascendeu, pediu para ser chamado simplesmente de “um irmão”, ou frater, em Latim. Então, “um frater” tornou-se o nome de Afra. A raça negra originalmente fazia parte do que era conhecido como a raça azul e a raça violeta. A sua pele, na realidade, tinha um tom azul ou violeta.
Essas almas viviam numa civilização espiritualmente avançada, que existiu no continente africano. Cada nação é chamada por Deus para manifestar uma virtude específica ou para cumprir um certo destino. Os membros do que chamamos a raça negra eram enviados à Terra para desenvolver a mestria sobre as qualidades do poder, vontade e fé divinas (no raio azul) e as qualidades da liberdade, justiça e misericórdia divinas (no raio violeta).
Afra viveu há 500.000 anos atrás, quando o povo desta antiga civilização havia atingido uma encruzilhada. Seres extra-terrestres e anjos caídos, que haviam invadido o planeta Terra, dividiam o povo. Isto pode parecer ficção científica. Mas a verdade é, com freqüência, mais estranha que a ficção. Estes anjos do mal decidiram-se a destruir as raças azul e violeta. Distorceram os rituais outrora sagrados e as formas de arte deste povo. Isto abriu as portas para a feitiçaria, o vodu e a magia negra. Voltaram o povo para o ódio, a superstição e a luta pelo poder. À medida que o povo desviou a sua atenção da sua Presença Divina, tornou-se cada vez mais vulnerável às técnicas dos anjos caídos de dividir para conquistar. A nação dividiu-se entre as facções guerreiras de suas tribos. O povo estava perdendo a batalha espiritual interna entre as forças da luz e das trevas dentro de si próprio.
A sua divisão, interna e externa, fez com que eles se tornassem escravos dos extraterrestres. Ao ver a situação em que seu povo se encontrava, Afra encarnou entre eles, para salvá-los.
Afra sabia que uma grande parte do seu povo havia perdido a chama trina, assim como muitos negros e brancos a estão perdendo hoje, através da raiva. Ele sabia também que, para conseguir recuperar esta chama trina, eles teriam que seguir a senda da fraternidade. Teriam que cuidar uns dos outros. A única forma dele ensiná-los a serem irmãos, era ser um irmão ele mesmo. E por isto ele foi crucificado pelo seu povo. Ele foi o Cristo no meio deles, mas eles não o reconheceram. Estavam cegos pela ânsia de poder.

ashtar sheran


 Imagens extraídas do Google para fins didáticos

 Fonte: Eu sou Luz

Comentários.

Governo do Estado não faz obras suficientes para captar água das chuvas e recompor reservatórios

A gestão eleitoreira da crise da água em São Paulo agrava a situação de um sistema que já está em colapso, de acordo com o professor aposentado da USP Julio Cerqueira César. “O uso do volume morto jogou o problema da água para depois da eleição”, disse o professor no evento “Crise da água: de quem é a culpa?” promovido por CartaCapitalna terça-feira, 9. “O racionamento foi colocada pela Sabesp como uma solução técnica, e o governador adotou uma solução política”, afirma.

Segundo Cerqueira César, a Sabesp, ainda em janeiro deste ano, apresentou ao governo um plano que previa o racionamento, diante do baixo índice dos reservatórios desde então, mas o governador impediu a ação, sob a justificativa de que seria uma medida irresponsável. O racionamento, pelo menos o anunciado oficialmente, tem sido evitado desde maio com o uso da reserva técnica chamada de volume morto. Na primeira etapa, foram 185 bilhões de litros bombeados desta reserva para o consumo de parte da população paulista. Em agosto, no entanto, mesmo com o implemento inicial, a Sabesp precisou captar uma segunda cota deste volume, de mais 100 bilhões.

Atualmente, o sistema Cantareira, responsável pelo abastecimento de água de parte de São Paulo e de Campinas, opera com 10% da sua capacidade. O nível do Sistema Alto Tietê, complementar ao Cantareira, está em 15%. A gestão dos sistemas cabe à Sabesp. O governo de São Paulo indica o presidente da instituição que, por sua vez, nomeia todos os diretores da empresa. Além disso, o estado é o principal acionista da Sabesp, que lucra 10 bilhões de reais por ano. “Desde de o começo, em janeiro, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) assumiu o comando da crise. Ele está conduzindo o problema pessoalmente e politicamente. Ele queria passar a Copa do Mundo e as eleições sem racionamento, e é o que está conseguindo fazer”, diz Cerqueira César.

Falta de investimentos

Além dos baixos índices pluviométricos, atribui-se à crise do abastecimento em São Paulo a falta de investimentos no setor, como a construção de novos reservatórios. “A Sabesp é a 4ª companhia de saneamento básico do mundo, e se considerarmos que opera em apenas um país, ela é a maior do mundo. Até os anos 90, a Sabesp chegou a uma situação invejável”, afirma Cerqueira César. “De 1990 pra cá, os governos se preocuparam apenas com os processos eleitorais. A Sabesp aposentou seus engenheiros sanitaristas e passou a ser comandada por economistas e advogados. Parou de se preocupar com seus usuários e passou a se preocupar com seus dividendos.”

Em 2007, a diretoria da Sabesp já previa o colapso do sistema e o governo do Estado passou a planejar novos reservatórios. Um estudo foi encomendado e o prazo de execução foi estabelecido em 180 dias, mas só foi entregue em 2014, sete anos depois. O resultado é a obra do Sistema Produtor São Lourenço, que está prevista para ficar pronta em 2018.

De acordo com Antonio Zuffo, pesquisador e professor da Unicamp, que também estava presente no evento, o Sistema São Lourenço está sendo projetado para acrescentar 4,7 m³ por segundo de vazão de água ao Sistema Cantareira. “Se acontecer a redução da precipitação em 20 a 30%, que é o que está previsto, o Sistema Cantareira perde 7 m³ por segundo de vazão. Ou seja, o São Lourenço não seria suficiente para compensar a perda”, explica o professor.

Outro ponto levantado é o desperdício que ocorre na distribuição da água. Segundo Zuffo, a Sabesp chega a perder 40% da sua produção. “Se conseguíssemos uma redução de 50% do que é perdido hoje no Sistema Cantareira, seria recuperado o equivalente a quatro sistemas parecidos com o São Lourenço. Conseguiríamos um redução da perda em aproximadamente 10 ou 12 m³ por segundo de vazão. Seria como se colocássemos um sistema que produz 12 m³ por segundo”, diz o pesquisador da Unicamp.

As perdas acontecem porque as adutoras não são fixas e, com a variação de pressão, acabam se deslocando e desgastando nas juntas, o que causa os vazamentos, difíceis de detectar, explica Zuffo. Para César, o prejuízo é inadmissível. “A Sabesp é uma indústria de água potável. A matéria-prima é a água. Se uma empresa particular tivesse um sistema como esse, que perde 40% do seu produto, ela estaria falida”, diz o professor da USP.

Sob a justificativa de impedir essa perda na distribuição, a Sabesp tem reduzido a pressão da água nos canos e algumas residências paulistanas já enfrentam uma espécie de racionamento velado. Em julho, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) encaminhou à Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp), a Geraldo Alckmin e à Sabesp um documento contabilizando uma média de 14 reclamações por dia de corte no abastecimento de água em residências paulistanas.

Ainda que seja um fator importante, a falta de chuvas ou as variações climáticas não explicam, sozinhas, o colapso do sistema, segundo Zuffo. A alegação de que desmatamento na Amazônia, apontado como causador da baixa precipitação na região do Sudeste, é equivocada. “Em 1953 não havia desmatamento na região, nas proporções que temos hoje, e tivemos período de seca em São Paulo”, esclarece o pesquisador da Unicamp.

O evento “Crise da água: de quem é a culpa?” faz parte da série de debates Diálogos Capitais e contou com a mediação do repórter Fabio Serapião.

Fonte: Carta Capital

A pior seca dos últimos 80 anos provocou mudanças no comportamento na Grande São Paulo. A maioria dos moradores fechou as torneiras e conseguiu reduzir o consumo de água.

Por outro lado, tem muita gente que não economizou e ainda aumentou o gasto de água. Tem gente que acha que pode gastar mais porque “está pagando”. Mas, a maioria dos moradores da região metropolitana já percebeu como a crise é grave.

Ao todo, 76% dos moradores abastecidos pela Sabesp na grande São Paulo seguraram o consumo. E economizaram quase 4 mil litros de água por segundo. Mas, a notícia ruim é que 24% dos consumidores gastaram mais. Muita gente economizou porque diz que a água não está chegando. Mas, teve mudança de comportamento.

Depois da festança, a bagunça de sempre. O que mudou no salão é o jeito de limpar. De uns tempos para cá é só com balde com água, rodo e pano. O resultado da mudança é impressionante.

“A primeira conta eu assustei. Eu achei que tinha alguma coisa errada, eu já peguei as contas, já ia ligar pra Sabesp, fiquei com medo de no mês seguinte vir três vezes o valor” conta Charles Lacerda, dono do salão de festas.

Charles assustou porque a conta de água diminuiu demais mesmo. Em agosto de 2013 ele pagava mais de R$ 140. Um ano depois, caiu para menos de R$ 70. E com o bônus para quem economizou, o valor foi lá para baixo: R$ 47.

“É um hábito que tem que se manter. Não tem mais jeito de voltar atrás não”, afirma Charles.

A mudança de habito no salão resultou também em mudança de lugares. A mangueira que antes ficava na frente e era muito lembrada e usada, agora está no depósito dentro do lixo. Ela está lá porque ela não é usada há, pelo menos, seis meses.

O salão de festas do Charles fica no Jaçanã, bairro da zona norte da cidade de São Paulo onde as pessoas mais reduziram o consumo de água em julho, segundo pesquisa da Sabesp.

O mesmo levantamento também deixa claro que os moradores que mais economizaram vivem nos bairros mais distantes: como Perus, Vila Maria, Freguesia do Ó, Vila Nova Cachoeirinha.

A geografia também revela que os que menos reduziram o consumo estão nos locais mais nobres ou mais centrais de São Paulo, por exemplo, na Sé, no Butantã, na Vila Mariana, nos Jardins.

O que tem a ver com a ocupação desses locais, rebate o presidente da Associação dos Moradores dos Jardins.

“Evidentemente, nessa região há um polo comercial muito grande com hospitais, restaurantes, hotéis”, afirma Fernando José da Costa, presidente da AME Jardins.

Em alguns casos a consciência surge por causa da circunstância. A advogada Melina Elias Pereira diz que não lava mais a garagem de jeito nenhum porque simplesmente não tem água para isso. “Está faltando todo dia. Entre 21h e 22h acaba. Só volta às 6 h no dia seguinte, todos os dias. Já faz uns 3 meses que está todo dia”, conta.

Falando em dia a dia, lembra do salão do Charles lá no Jaçanã? A mudança de rotina ali, afetou também o hábito em casa de todo mundo. Dos funcionários, do patrão, da família do patrão.

Bom Dia Brasil: Só falta dizer que está todo mundo tomando banho rápido na sua casa também.
Charles: É, rápido e com hora marcada.

Jéssica Fagundes da Costa, funcionária do salão de festas: Roupa a gente costumava a lavar durante a semana, agora já lava tudo no final de semana, junta tudo para lavar depois.
Bom Dia Brasil: O que você faz com esse dinheirinho que sobra, que não gasta com a conta de água?
Jéssica Fagundes: Dá para comprar alguma coisa para gente, maquiagem, alguma roupa. É um dinheiro que sobra para a gente.

Milhares de paulistanos afirmam que há falta de água em casa toda a noite e sempre, pontualmente, no mesmo horário. Mas, em nota, a Sabesp reafirma que não há racionamento ou restrição de consumo em nenhuma das 364 cidades atendidas pela empresa.

Fonte: Globo

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse  que não espera racionamento de água neste ano nem em 2015. A declaração foi feita em coletiva de imprensa da Parada Gay.

“Nós esperamos que não tenha nem este ano nem o ano que vem”, afirmou o tucano, depois de ser questionado se haverá o rodízio de água na Região Metropolitana de São Paulo.

Isso, apesar de o reservatório que abastece parte da Grande São Paulo de água não parar de secar. Dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) mostram que o Sistema Cantareira atingiu 10,1% de sua capacidade total neste domingo um novo recorde histórico.

No sábado, 3, o patamar era de 10,3%. Uma semana atrás, o índice era um ponto percentual maior: 11,1%. Já no mesmo dia (4 de maio) do ano passado, o volume armazenado era muito maior, de 62,4%.

O governo do Estado de São Paulo informou  que a Agência Reguladora de Saneamento e Energia (Arsesp) aprovou a proposta da multa de 30% para quem elevar o consumo de água na Grande São Paulo. Segundo a Secretaria Estadual de Saneamento e Recursos Hídricos, a medida agora está sendo avaliada pela Procuradoria-Geral do Estado antes de entrar em vigor. A intenção do governo é começar a multar os clientes da Sabesp em junho a partir do consumo medido em maio. De acordo com a secretaria, o cálculo será feito a partir da média do consumo mensal realizado em 2013.

Antes da multa, outras alternativas foram colocadas em prática. Neste ano, a Sabesp intensificou a captação de água em outras fontes já disponíveis, como o Sistema Alto Tietê, e deu andamento a projetos para captar água em regiões mais distantes, como o Sistema São Lourenço, no interior do Estado. Além disso, a companhia anunciou no início deste ano a oferta de um desconto de 30% para clientes que reduzissem em 20% o consumo de água.

O governador Geraldo Alckmin anunciou a construção de dois novos reservatórios de água na Bacia dos rios Piracicaba, Jundiaí e Capivari (PCJ) para atender a região metropolitana de Campinas, no interior.

O reservatório Pedreira será construído no Rio Jaguari, entre Pedreira e Campinas, e o Duas Pontes, no Rio Camanducaia, nas cidade de Amparo. O projeto tinha sido anunciado em fevereiro, mas somente agora foi assinado.

A estratégia, segundo Mauro Arce, secretário de Saneamento e Recursos Hídricos, é que com os dois novos reservatórios, que juntos irão armazenar cerca de 67,4 milhões de metros cúbicos de água, a bacia do PCJ não dependa tanto da água do Sistema Cantareira.

O conjunto de reservatórios segue diminuindo e nesta sexta chegou a 10,4% da capacidade. Hoje a região do PCJ capta 3 metros cúbicos por segundo do sistema.

A construção dos dois novos reservatórios ainda depende da elaboração de um projeto executivo que deve ser concluído em 18 meses. Depois disso, serão mais dois anos para a construção

A captação de água do volume morto do Sistema Cantareira ameaça trazer à tona poluentes depositados no fundo das represas, onde se concentram contaminantes que não são tratados por sistemas convencionais para o abastecimento. Três especialistas em biologia e toxicidade em corpos d’água fizeram o alerta ao Ministério Público Estadual (MPE), que abriu inquérito civil para investigar a crise hídrica do sistema responsável pelo abastecimento de 14,3 milhões de habitantes na Grande São Paulo e no interior.
“Quando se cogita fazer o uso do volume morto, por causa das condições emergenciais de necessidades hídricas, antes que esteja disponível para o abastecimento público, deve passar por análise criteriosa e tratamento adequado para atendimento dos padrões normatizados de qualidade de água”, afirmam, em parecer, Dejanira de Franceschi de Angelis e Maria Aparecida Marin Morales, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), e Silvia Regina Gobbo, da Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep).
O documento embasou o pedido feito pelos promotores do Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente (Gaema) para que a Agência Nacional de Águas (ANA), o Departamento de Água e Energia Elétrica (DAEE), a Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) e a Companhia do Saneamento Básico de São Paulo (Sabesp) informem quais os critérios de uso do volume morto. O MPE exige quais garantias foram pedidas para não haja movimentação do lodo das represas durante a captação e quais exames de qualidade da água serão feitos.
Segundo as pesquisadoras, “quanto mais baixo o nível dos reservatórios, maior é a concentração de poluentes, recomendando maiores cuidados com seus múltiplos usos”. Entre os elementos citados que contaminam os mananciais há compostos inorgânicos (metais e outros agentes tóxicos), orgânicos altamente reativos com os sistemas biológicos (hidrocarbonetos aromáticos, biocidas e fármacos), microbiológicos (bactérias, fungos e protozoários patogênicos) e vírus.
“Muitos dos poluentes que contaminam os rios apresentam potencialidade de alterar o material genético dos organismos expostos, até mesmo do homem, e, consequentemente, desencadear problemas de saúde, como desenvolvimento de doenças crônicas (tais como alterações nas funções da tireoide, do fígado, dos rins), agudas (tais como intoxicações, alergias, diarreias), degenerativas (Parkinson, Alzheimer etc.) e o câncer”, relataram as pesquisadoras da Unesp e da Unimep.
Para os promotores do Gaema, a mortandade de mais de 20 toneladas de peixe no Rio Piracicaba, em fevereiro, provocada pela baixa vazão do manancial, foi “apenas um dos primeiros indicadores visuais da gravidade da situação, que, se persistir, poderá acarretar em impactos gravíssimos, muitas vezes irreversíveis”. Ontem, diante da situação, o MPE negou à ANA e ao DAEE pedido de prorrogação de 30 dias para que eles respondessem quais critérios serão adotados para a retirada da água do volume morto.
Autorizações. A Sabesp informou que apenas se pronunciará sobre os questionamento após ser notificada pelo MPE. No entanto, a empresa afirmou que tem todas as autorizações ambientais para a execução da obra de captação de água do volume morto.
De acordo com a Sabesp, as obras foram iniciadas no dia 17 do mês passado nas Represas Atibainha, em Nazaré Paulista, e Jaguari, em Bragança Paulista. A intervenção vai custar R$ 80 milhões e será concluída em dois meses. “O volume de água que estará à disposição para abastecimento público é de 200 bilhões de litros. A reserva total é de 300 bilhões de litros”, informou a Sabesp.

Fonte: Estadão

A chuva dos últimos dias ajudou a elevar em 0,2 ponto o nível de água armazenado no Sistema Cantareira, responsável pelo abastecimento de quase 9 milhões de clientes da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) na Grande SP. De sexta-feira (28) para sábado (1º/3), o volume de água passou de 16,4% para 16,6% e voltou ao patamar observado na quinta-feira (27), segundo informações do portal da Sabesp. Apesar da pequena elevação, trata-se do primeiro aumento do índice dos reservatórios desde dezembro do ano passado.

De acordo com os dados da Sabesp, choveu somente 73 milímetros em fevereiro, contra uma média histórica de 202,6 milímetros de chuva do mês.

No começo de fevereiro, a Sabesp anunciou uma campanha para estimular a redução no consumo, oferecendo desconto de 30% na conta de quem economizar 20% do seu consumo de água, devido a falta de chuvas. O desconto vale apenas para os consumidores abastecidos pelo Sistema Cantareira.

A Sabesp informou que a economia de água do Sistema Cantareira foi de 500 litros por segundo entre os dias 2 e 9 de fevereiro, primeira semana em vigor do incentivo financeiro, que concede desconto de 30% nas contas de consumidores que reduzirem, pelo menos, 20% o consumo médio em um período de 12 meses: fevereiro de 2013 a janeiro de 2014. De acordo com a Sabesp, os 500 litros por segundo significam uma economia de 302 milhões de litros de água em uma semana. “É o suficiente para encher 120 piscinas olímpicas”, informou a empresa, em nota enviada à imprensa.

A Sabesp comunicou que a redução aconteceu mesmo com um aumento de 2ºC na temperatura na primeira semana de fevereiro e ressaltou que desenvolve estudos de engenharia para determinar a melhor alternativa para a utilização da reserva técnica do Sistema Cantareira, volume de água que está armazenado na represa Jaguari/Jacareí.

A empresa ainda comunicou que passou a abastecer 1,6 milhão de pessoas com o Sistema Alto Tietê. Dessa forma, esses consumidores deixaram de receber água do Sistema Cantareira. “É importante esclarecer que todos os outros sistemas de abastecimento estão em situação normal”.

A estiagem em rios e reservatórios de São Paulo, causada pela seca atípica, já provoca racionamento de água no interior e abre contagem regressiva para que a crise não se repita na Grande São Paulo. Enquanto a cidade de Valinhos, na região de Campinas, já começou a remanejar o fornecimento entre bairros, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) descartou ontem cortes no abastecimento da Região Metropolitana só até o dia 15, quando se espera a volta das chuvas mais constantes e intensas.

O atual cenário já abriu uma disputa entre o comitê que representa as Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ) e a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) pela reserva de água do Sistema Cantareira, que atingiu ontem seu nível mais baixo para o período desde que foi criado, em 1974. As cidades do interior pediram oficialmente aos governos federal e estadual que a Sabesp deixe de usar 6.000 litros de água por segundo do banco de águas (uma reserva estratégica) para garantir o abastecimento da Região Metropolitana.

O pedido foi sugerido pelo Ministério Público Estadual na sexta-feira e aprovado pelo comitê das bacias do PCJ. Ele será analisado hoje pela Agência Nacional de Águas (ANA) e pelo Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), gestores dos recursos hídricos da Cantareira. Caso seja aprovado, a Sabesp, que pediu a manutenção da captação, terá de racionar o uso de água para os 8,8 milhões de pessoas da Grande São Paulo abastecidas pelo Cantareira, responsável por 47% da oferta da Região Metropolitana

Oficialmente, o comitê pediu uma quebra na regra de distribuição da água do Cantareira, impedindo que a Sabesp use nos próximos dias água do banco, criado para suprir o abastecimento no período seco de inverno, que vai de abril a setembro. Em períodos normais, esse banco estaria sendo recarregado pelas chuvas de verão. Pela regra de operação, com os níveis atuais dos reservatórios, 30 mil litros de água do Cantareira são enviados para a Grande São Paulo e 3 mil litros por segundo para o interior, em uma área com 5,5 milhões de moradores.

No limite

O engenheiro Francisco Lahoz, do órgão que aprovou o pedido, afirma que a Sabesp tem garantido o fornecimento dos 30 mil litros de água por segundo porque está usando a água reservada do banco. A Sabesp informou que não se pronunciaria sobre a proposta. “A medida tem como objetivo evitar o rebaixamento dos reservatórios para um nível menor do que 20%, que inviabilizaria a transposição de água entre eles e afetaria o fornecimento”, disse.

Ontem, Alckmin disse acreditar que o programa que dá desconto de 30% na conta para quem economizar ao menos 20% será suficiente para evitar o racionamento nesta primeira quinzena do mês. “Entendo que, com essa medida tomada, e se nós tivermos chuvas a partir do dia 15, será suficiente. Claro que isso vai depender da resposta da sociedade, que acho que é positiva. Veja que nós já tivemos isso em 2004 e houve uma boa resposta”, afirmou.

Multa

Enquanto nada é definido, o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), determinou que a Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento da cidade (Sanasa) estude medidas de incentivo à economia de água nos moldes do programa da Sabesp e já antecipou de julho para este mês o período em que é proibido usar água para lavar calçadas, sob pena de multa equivalente a três vezes o valor da última fatura de água. “Em razão da gravidade do momento, com a falta de chuvas e o calor intenso, decidimos tomar essa medida.”

A dona de casa Maria Ercília Freitas, de 74 anos, conta que o calor faz com que ela use mais água. “Não consigo mais ficar dentro de casa durante a tarde. Para dar uma refrescada, aproveitei para jogar uma água na calçada”, afirma ela, que agora pode ser multada se voltar a praticar a chamada “vassoura hidráulica”, quando é usada água para “varrer” o chão.

A capacidade nos reservatórios de água do Sistema Cantareira caiu abaixo dos 19% nesta quinta-feira (13) e pela primeira vez na história o nível chegou a 18,8%, segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo(Sabesp). Para a empresa ligada ao governo de São Paulo, essa é uma situação crítica, mas que ainda não exige racionamento na capital.

Esta semana tem sido marcada por quedas diárias da capacidade dos reservatórios de água. No domingo (9), o nível chegou, pela primeira vez, abaixo dos 20%, a 19,8%. A Sabesp ofereceu 30% de desconto para quem economizar – apenas na capital, estão sendo economizados cerca de 500 litros por segundo, segundo a empresa.

Para a Sabesp, a falta de chuva e o calor recorde são os responsáveis pelo nível tão baixo do Sistema Cantareira. “O mês de dezembro de 2013 foi especialmente ruim: teve 62 milímetros de chuva, quando a média histórica é de 226 milímetros. Foi o pior dezembro desde que a medição começou a ser feita, há 84 anos”, aponta a companhia.

Em janeiro, as chuvas que normalmente chegam a 300 milímetros ficaram em 87,7 milímetros. “Além disso, tivemos o janeiro mais quente da história e, como não chove [o que ajudaria a baixar a temperatura], o consumo de água acaba se mantendo em nível elevado o dia todo”, destaca a Sabesp.

Os vazamentos na rede de abastecimento também prejudicam os reservatórios. O G1 criou um mapa interativo para que o internauta aponte onde esse problema está ocorrendo.

Problema localizado
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), comentou na tarde desta quinta-feira sobre a situação na Cantareira. “É um problema bastante localizado. Não tempos problemas na Guarapiranga, no Alto Cotia e nos demais sistemas de água”, disse.

O governador afirmou que uma reunião com a Sabesp nesta quinta irá discutir soluções para o abastecimento. “A Sabesp está estudando o volume morto da Cantareira. São 400 milhões de metros cúbicos de água que não são utilizados porque não tinha equipamento para chegar a essa profundidade”, afirmou. Ele acrescentou que a empresa na reunião deve apresentar quais equipamentos, qual o custo e o impacto desta retirada.

Histórico
Apesar de que, no dia 9 de fevereiro de 2004, o nível do Sistema Cantareira estava em 5,6%, a Sabesp informa “que os níveis foram revisados e, a partir de agosto daquele ano, uma regulamentação determinou que fossem incorporados volumes que antes eram considerados como reserva técnica”.

Portanto, a empresa não contava na medição os 20% que havia no reservatório. “Assim sendo, naquela época, o índice era de cerca de 25%, maior que o atual”, diz.

O sistema
Formado por quatro represas, o Sistema Cantareira é responsável por abastecer casas de mais de 8 milhões de moradores da Zona Norte, do Centro, de pequena parte da Zona Leste e de 11 municípios da Região Metropolitana de São Paulo (Franco da Rocha, Francisco Morato, Caieiras, Osasco, Carapicuíba, Santana de Parnaíba, São Caetano do Sul e parte das cidades de Guarulhos, Barueri, Taboão da Serra e Santo André).

A Sabesp classificou o cenário como “preocupante” e anunciou no dia 1° um desconto de 30% para quem economizar água. Para quem quiser participar, a informação sobre o sistema que abastece a residência está disponível na conta de água.

“Nos demais [sistemas], mantém a tarifa normal, porque choveu na média e os sistemas se recompuseram”, disse a presidente da Sabesp, Dilma Pena, em entrevista coletiva. “Vamos ter um impacto no faturamento que ainda não mensuramos. E faremos a gestão disso.”

O desconto será válido de fevereiro a setembro, exceto para Santana de Parnaíba, onde a política vai de março a setembro, “por uma questão específica do sistema”, segundo Dilma.

A presidente da Sabesp também afastou a possibilidade de racionamento. “Não estamos pensando em racionamento. Ele não está no nosso radar”, disse. Segundo ela, o desconto deve vir já na próxima conta de água recebida pelos consumidores.

A estratégia é similar à usada em 2004, quando já houve desconto na conta para quem economizou água. Desta vez, no entanto, o consumidor pode ter um abatimento ainda maior. Quem diminuir o consumo em cerca de 20% terá 30% de desconto na fatura.

“Como tivemos um índice pluviométrico baixíssimo em janeiro, a Sabesp está adotando um incentivo econômico para que a população poupe água. O consumidor que reduzir 20% de seu consumo, tendo como referência a média dos últimos 12 meses, terá uma redução na tarifa de 30%. Isso tem um impacto significativo na conta de água. Como ele reduz o volume, e a estrutura tarifária é por faixa de consumo, então ele tem uma redução real ainda maior”, afirmou a presidente da Sabesp.

Dilma explicou que a média de consumo diário é de 161 litros por habitante na região metropolitana de São Paulo. A campanha pede que esse valor seja reduzido para 128 litros, ou cerca de 20%.

“É um incentivo econômico para que, nessa situação crítica, a população faça a adesão. Temos certeza que a população vai aderir e acatar o chamamento. Não dá para encher a piscina e tomar um banho de 30 minutos. Mas dá para fazer todas as atividades”, ressaltou.

A presidente da companhia explicou que o desconto real na conta dos consumidores que aderirem à economia pode ser ainda maior que os 30%, já que ele será aplicado sobre o valor já menor. “Com a redução, passa a haver uma tarifa de 30,9%. Mas, por mudar de faixa, a redução real será de 48%.”

A conta do cliente abastecido pelo Sistema Cantareira terá um informe com a meta de redução a ser atingida, segundo a Sabesp.

Saiba como economizar
Para economizar água, a Sabesp recomenda que o consumidor adote algumas atitudes diárias. Veja abaixo:

- Tome banhos rápidos e feche a torneira ao se ensaboar;
- Lave a louça de uma vez e feche a torneira ao ensaboá-la;
- Não lave a calçada nem o quintal, use a vassoura;
- Ao lavar o carro, use um balde;
- Acumule roupas para lavar na máquina de uma vez só;
- Deixe a torneira fechada ao escovar os dentes e fazer a barba.

Outro fator que colabora para o desperdício de água são os vazamentos. A Sabesp oferece um curso gratuito que ensina práticas simples para identificar possíveis problemas em instalações hidráulicas. O programa é aberto ao público em geral e é ministrado nos períodos da manhã e da tarde.

Os participantes recebem uma cartilha explicativa ilustrada e um certificado de conclusão.
Quem se interessar deve procurar a regional da Sabesp mais próxima de sua residência.

O Ministério Público Estadual (MPE) instaurou um inquérito civil para investigar suspeita de favorecimento de empresas em contratos feitos pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) no programa de redução de perdas de água. A concessionária investiu cerca de R$ 1,15 bilhão entre 2008 e 2013 para diminuir o desperdício na rede de distribuição, mas não atingiu as metas estabelecidas pela Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp). Além da Sabesp, outras 13 empresas são alvo da apuração.

O inquérito foi aberto em abril pelo promotor Marcelo Daneluzzi, do Patrimônio Público e Social, em meio à crise de abastecimento do Sistema Cantareira. Além do índice de perdas de água acima da meta, revelado pelo Estado em fevereiro, o promotor considerou indícios de irregularidades nos contratos e informações obtidas a partir de uma denúncia anônima de um suposto ex-funcionário da empresa. Ontem, a Sabesp informou desconhecer o teor da denúncia (leia abaixo) .

Além da concessionária, as empresas representadas são: BBL Engenharia Construção e Comércio Ltda, Enops Engenharia Ltda, Enorsul Serviços em Saneamento Ltda, Ercon Engenharia Ltda, Etep Estudos Técnicos e Projetos Ltda, Job Engenharia e Serviços Ltda, Opertec Engenharia Ltda, OPH Engenharia e Gerenciamento Ltda, Cia Brasileira de Projetos e Empreendimentos (Cobrape), Restor Comércio e Manutenção de Equipamentos Ltda, Sanit Engenharia Ltda, Sanesi Engenharia e Saneamento Ltda, e VA Saneamento Ambiental Ltda.

A suspeita do promotor é de que tenha havido “direcionamento em favor dessas empresas, mediante exigências de certificação elaboradas por entidade de classe formada pelas próprias empresas” – no caso, a Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção (Abendi). Para Daneluzzi, “a situação indica possível irregularidade administrativa, noticiando direcionamento contratual e absoluta falta de eficiência administrativa do programa”.

Entre 2008 e 2013, o índice de perdas de água na rede da Sabesp caiu 8,5%, de 34,1% do volume produzido para 31,2%. Apesar da redução, o índice que mede a quantidade de água desperdiçada entre a estação de tratamento e a caixa d’água dos imóveis, ficou acima da meta de 30,5% estabelecida pela Arsesp, que fiscaliza o serviço. A média nacional de desperdício efetivo é de 38,8%. Somente no ano passado foram perdidos 924,8 bilhões de litros, quantidade próxima da capacidade máxima do Cantareira: 981,6 bilhões

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) informou em nota que precisaria conhecer a origem das informações que deram base à abertura do inquérito pelo Ministério Público Estadual (MPE) para se manifestar a respeito e afirmou que “o índice de perdas físicas (vazamentos) da empresa é de 20,3%”.

“Com os investimentos do Programa de Redução de Perdas, nos últimos dez anos, o índice caiu 8 pontos porcentuais, enquanto a Itália tem índice de 29%, a França tem 26% e o Estado da Filadélfia (EUA) tem 25,6%. Existem também perdas que impactam o faturamento, como hidrômetros danificados, ligações irregulares e furtos”, informou a Sabesp.

A companhia disse que o Programa de Redução de Perdas de Água, criado em 2007, tem recursos previstos de R$ 5,9 bilhões para troca de ligações domiciliares, hidrômetros e redes de água e também serão pesquisados vazamentos não visíveis em 150 mil quilômetros de redes. Além disso, diz que tem contrato com a Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) para investimentos e transferência de tecnologia.

Em nota, A BBL Engenharia afirmou que os contratos celebrados com a Sabesp “foram executados no estrito rigor do escopo e dos prazos definidos nos instrumentos de contratação e com a alta qualidade que sempre caracterizou os serviços” da empresa e aguardará a oportunidade para esclarecer as questões levantadas.

A Cobrape afirmou ser “empresa com conhecida experiência em saneamento e recursos hídricos, e seus contratos com a Sabesp são diligentemente cumpridos”. Segundo a empresa, a Associação Brasileira de Ensaios não Destrutivos e Inspeção (Abendi) não é associação de classe nem é formada por empresas”, segundo indício levantado pelo Ministério Público.

O advogado da OPH Engenharia, Fabio Menna, afirmou que a empresa “se sente surpresa” com a notícia do inquérito e “se coloca à disposição para eventuais esclarecimentos”. Ele disse que a empresa é “idônea” e que “nunca sofreu qualquer tipo de sanção por irregularidades seja por infrações contratuais ou técnicas”.

O advogado da Enorsul, Marcelo Leonadro, afirmou que a empresa “trabalha exclusivamente na prestação de serviço técnico para idenfitifcar vazamento na rua e foi contratada por pregão eletrônico com preço fixado pela Sabesp”.

O sócio da Ercon Engenharia, Isaac Zingerevitz, afirmou que “nada tem a temer quanto a eventuais investigações referentes a serviços de detecção de vazamentos” e os resultados apresentados pela empresa à Sabesp “sempre foram a contento”. Procuradas pela reportagem, Enops, Etep, Opertec, Job Engenharia, Sanit, Sanesi, Restor e VA Saneamento Ambiental não se manifestaram.

Após relatos de falta d’água em diversos bairros da zona norte de São Paulo, a zona oeste também começou a registrar interrupções no abastecimento. Moradores e comerciantes da Lapa relatam problemas no fornecimento há cerca de três semanas. A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), no entanto, nega a ocorrência de racionamento ou rodízio de água.

“Desde o último sábado, estamos com o abastecimento reduzido: apenas uma hora pela manhã e uma hora no fim da tarde. Estou tendo de driblar as caixas para manter os apartamentos com água”, afirma Luís Henrique Oseliero, síndico de um conjunto de duas torres residenciais na Rua George Smith, em que vivem cerca de mil pessoas.

No entanto, o trabalho do síndico não foi suficiente para manter todos os apartamentos abastecidos na manhã de ontem. “Um morador me ligou reclamando que não havia mais água e que ele teria de sair sem escovar os dentes. Mas já ligamos várias vezes para a Sabesp, e eles continuam dizendo que não há racionamento”, relata.

Nas quadras próximas ao condomínio, estabelecimentos comerciais enfrentam o mesmo problema. Em um bar da Rua 12 de Outubro, o abastecimento tem sido interrompido por volta das 18h, de três a quatro vezes por semana, segundo o gerente. “Até as 23h, ficamos com a água armazenada da caixa d’água. Depois, volta durante a madrugada”, diz Paulo Sérgio de Maria.

Ele afirma não ter procurado a Sabesp para saber o que acontece por acreditar que se trata de racionamento. “A gente sabe que é isso. E, como não chegou a faltar água na torneira ainda, não liguei. Mas as moças que trabalham nas lojas aqui perto estão reclamando muito”, relata.

Em uma padaria na Rua Clemente Álvares, o problema começou na semana retrasada. Segundo um dos proprietários do estabelecimento, que prefere não se identificar, o abastecimento costumava ser interrompido à noite, mas na terça-feira faltou água durante o dia. “Quando falta durante o dia, ‘me quebra as pernas’. O que todo mundo está falando é que não tem mais água na Lapa mesmo.”

Morador do Butantã, também na zona oeste, ele contou ainda que a Sabesp tem interrompido o fornecimento na sua casa diariamente, da 0h às 4h.

A companhia diz que, “por causa de manobras técnicas operacionais para a transferência de vazões dos Sistemas Guarapiranga e Alto Tietê para atendimento de alguns bairros, atualmente abastecidos pelo Sistema Cantareira, podem ocorrer eventuais momentos de desabastecimento, especialmente nos pontos altos”.

Previsão.

A Sabesp afirma que, com o uso do volume morto, a partir desta quinta-feira, somado à previsão de que haverá até setembro, período da seca, o mínimo de chuvas dos últimos 80 anos, será possível chegar até outubro, início do período de chuvas, sem a necessidade de decretar o racionamento de água na cidade.

Fonte: Yahoo e Oesp

Comentários.

Na Terra da Quinta Dimensão, os casos de corrupção são desmascarados

Operação investiga delegados tributários por lavagem de dinheiro

Funcionários de três regionais tributárias teriam tido enriquecimento ilegal.
Ação conjunta do MPE e Polícia Civil foi cumprir mandados nas delegacias.

Operação conjunta do Ministério Público Estadual (MPE), Corregedoria-Geral da Administração do governo de São Paulo, e Polícia Civil investiga delegados regionais tributários da capital e de Guarulhos por suspeita de crimes contra a administração pública e lavagem de dinheiro. A informação é do SPTV.

Ao todo, os policiais apreenderam cerca de R$ 450 mil e US$ 20 mil. O dinheiro estava nas empresas dos investigados e também nas delegacias tributárias.

Uma força-tarefa foi deflagrada na manhã desta quarta-feira (10) para cumprir mandados de busca e apreensão em duas delegacias regionais tributárias da capital e uma de Guarulhos. As delegacias pertencem à Secretaria da Fazenda, do governo estadual. Os delegados são servidores da pasta, geralmente agentes fiscais de renda, e coordenariam um esquema de lavagem de dinheiro.

O esquema funcionava da seguinte maneira: as empresas que deviam o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) eram procuradas pelos agentes para que quitassem a dívida por um valor bem inferior; em troca, recebiam dinheiro de propina, segundo a polícia. Ao menos 16 empresas teriam se beneficiado do esquema de corrupção e também estão sendo investigadas.

De acordo com a assessoria de imprensa do MPE, promotores de Justiça do Grupo Especial de Combate a Delitos Econômicos (Gedec) e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), mais membros da Corregedoria-Geral da Administração e policiais civis apuram o caso.

Segundo o MPE, estão sob suspeita as delegacias regionais tributárias da Lapa, na Zona Oeste, e do Tatuapé, na Zona Leste de São Paulo, e a de Guarulhos. Os delegados são suspeitos de enriquecimento ilegal. Os nomes dos servidores não foram divulgados. Nestes locais, foram apreendidos computadores e outros documentos, em cumprimento a mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça. A Secretaria da Fazenda informou que está contribuindo com as investigações.

A Secretaria da Fazenda de São Paulo afastou três delegados tributários suspeitos de cobrar propina para facilitar a sonegação de Imposto sobre a Circulação de Mercadorias (ICMS). O trio foi alvo de uma operação deflagrada ontem pelo Ministério Público Estadual e a Polícia Civil que encontrou, ao todo, R$ 450 mil em cédulas. O dinheiro supostamente seria da propina. O dinheiro estava espalhado nas delegacias da Fazenda – na capital e em Guarulhos – e em quatro endereços de empresas. Miguel Conrado Pinheiro Vale, Maurício Dias e Luciano Francisco Reis foram afastados depois da operação. O jornal O Estado de S. Paulo não os localizou para comentar o afastamento. Eles podem recorrer da decisão.

O promotor de Justiça encarregado da operação de quarta-feira, 10, Marcelo Mendroni, disse que os suspeitos não são só os três. “Ainda não havia um número fechado nem de empresas suspeita de terem sido beneficiadas pela quadrilha nem o total de servidores estaduais investigados”, disse. “Essa investigação partiu de um outro procedimento, vindo do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) de Bauru”, explicou o promotor. A operação, chamada Yellow, foi deflagrada em maio.

A suspeita era de desvio no recolhimento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que incide sobre a soja.

Segundo o promotor Mendroni, os fiscais cobravam propina para permitir que empresas recolhessem menos ICMS do que deveriam. As fraudes facilitadas pelo grupo teriam causado prejuízo de R$ 2,7 bilhões ao Estado, de acordo com as investigações.

“O que nos chamou a atenção foi que a Secretaria de Estado da Fazenda chegou a fazer uma apuração sobre as fraudes e fez um relatório muito completo sobre o esquema, mas o processo foi arquivado. Não concordamos com esse arquivamento e contatamos a Corregedoria-Geral da Administração, que conduziu as correições ontem nas delegacias tributárias”, disse o promotor.

Os quatro endereços visitados – na capital e em São Bernardo do Campo, no ABC – eram sede das oito empresas investigadas. Segundo Mendroni, elas haviam sido abertas pelos suspeitos, utilizando nomes de parentes. A função das empresas era receber pagamentos para permitir a lavagem do dinheiro obtido com o recebimento das propinas. “Já temos indícios claros de lavagem de dinheiro por meio da venda de imóveis entre os suspeitos”, disse Mendroni. Os três fiscais – e demais pessoas relacionadas – devem ser indiciados pelos crimes de concussão (quando o servidor público exige propina em decorrência do cargo que ocupa), lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Empresas

Já as empresas podem ser caracterizadas como vítimas do esquema, no entender do promotor. “Tanto que faço um chamamento para que, se alguma empresa foi vítima dessa quadrilha, se em algum momento eles cobraram propina de empresários, que nos procurem para relatar o caso e colaborar com as investigações”, afirma Mendroni.

Se as investigações apontarem que empresas colaboravam com o esquema – efetivamente pagando propina para pagar menos imposto do que deveriam -, elas podem ser enquadradas na nova lei anticorrupção, que multa a empresa em até 20% do faturamento caso seja comprovada a atividade ilícita.

A Secretaria de Estado da Fazenda informou, por meio de nota, que está colaborando com as investigações e que “determinou à Corcat (Corregedoria da Fiscalização Tributária) que promova o acompanhamento e colaboração aos órgãos fiscalizadores nos trabalhos de apuração em desenvolvimento por eles”. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Globo e Estadão

Calabi demite fiscal que comprou 41 imóveis em três anos

Elcio Fiori Henriques, que também foi juiz de impostos e taxas da Secretaria da Fazenda de São Paulo, ficou milionário no cargo

O secretário de Estado da Fazenda de São Paulo Andrea Sandro Calabi demitiu a bem do serviço público o agente fiscal de Rendas e juiz do Tribunal de Impostos e Taxas (TIT) Elcio Fiori Henriques, acusado de improbidade.

A decisão de Calabi foi tomada com base em parecer da Consultoria Jurídica da Pasta e manifestações da Corregedoria da Fiscalização Tributária e da Coordenadoria da Administração Tributária.

Fiori Henriques ficou milionário no cargo público e como magistrado de impostos da Fazenda. Em menos de três anos, entre 2010 e 2013, ele adquiriu 41 imóveis de alto padrão, embora seu contracheque mensal no Fisco estadual não fosse além de R$ 13,02 mil.

Segundo o Ministério Público, ele registrava os bens em cartório por valores subestimados e os revendia quase imediatamente a preço de mercado, operação típica de lavagem.

A Promotoria suspeita que Fiori Henriques cobrava propina para anular multas milionárias aplicadas a empresas.

Apenas no período de 4 de março de 2010 a 5 de outubro de 2012, Fiori Henriques comprou em nome próprio ou de sua empresa, a JSK Serviços, Investimentos e Participações Ltda, 19 apartamentos residenciais e salas comerciais em endereços valorizados da Capital, patrimônio que registrou por R$ 15,28 milhões. O valor real empregado é calculado em R$ 30,75 milhões.

Em 2013 a Justiça decretou o bloqueio de bens de Elcio Fiori Henriques, alvo de ação por improbidade administrativa.

Em sua decisão, publicada no Diário Oficial, edição de 2 de julho, o secretário da Fazenda anota que aplicou a pena de demissão ao agente fiscal de Rendas por infração ao artigo 257, inciso XIII, da Lei Estadual 10.261/68 (Estatuto do Funcionalismo) e por conduta descrita no artigo 9.º, inciso VII, da Lei 8429/92 (Lei da Improbidade).

O artigo 257 prevê que será aplicada a pena de demissão a bem do serviço público ao funcionário que praticar ato definido em lei como de improbidade. O artigo 9.º da Lei 8429/92 diz que constitui ato de improbidade administrativa importando enriquecimento ilícito “auferir qualquer tipo de vantagem patrimonial indevida em razão do exercício de cargo”.

O advogado Ricardo Sayeg, que defende Elcio Fiori Henriques, foi categórico. “A demissão do dr. Elcio violou o direito de defesa e o devido processo legal.”

Para Sayeg, a demissão “nesse período eleitoral tem nítido caráter político”.

“É sabido que, de uma hora para outra, o governo de São Paulo, após as pesquisas de popularidade, ficou ‘linha dura’”, disse Ricardo Sayeg.

Quando a investigação sobre seu patrimônio foi desencadeada, Fiori Henriques afirmou. “Todos os valores empregados nas compras de imóveis por mim e pelas empresas possuem origem lícita, oriundos dos investimentos bem-sucedidos realizados com o capital próprio e de terceiros investidores.”

Fonte:  Estadão

Um fiscal de renda da Secretaria Estadual da Fazenda foi preso em 25/2/14, em Mogi das Cruze (SP). O homem de 58 anos foi detido em um posto de combustíveis na Rodovia Mogi-Dutra, quando recebia R$ 4,5 mil de propina de um comerciante de Mogi.

Há cerca de uma semana, segundo a vítima, o fiscal vinha exigindo dinheiro do comerciante para que ele pudesse passar a comercializar carros na funelaria. Cansada da chantagem, a vítima avisou o Setor de Investigações Gerais (SIG) de Mogi, que monitorou a entrega do dinheiro.

O fiscal foi preso em flagrante assim que pegou a quantia da vítima. Ele vai responder por corrupção passiva por ser funcionário público. A pena é de 2 a 12 anos de prisão. Ele trabalhava na Secretaria Estadual da Fazenda há 27 anos e atualmente estava na sede de Guarulhos. O salário, de acordo com o portal da transparência, é de R$ 23 mil.

Nesta quarta-feira (26), o Setor de Investigações Gerais informou que o suspeito passou mal foi internado no Hospital Luzia de Pinho Melo. Depois de receber alta, o que ainda não tem previsão, ele será levado para a Cadeia de Mogi e depois será transferido ao Centro de Detenção Provisória (CDP).

A Secretaria da Fazenda, por meio da Corregedoria de Fiscalização Tributária (Corcat), informou que solicitará cópia dos documentos e boletins lavrados pelo Setor de Investigações Gerais sobre a prisão do servidor. Como medida imediata, a Corcat instaurou investigação administrativa de responsabilidades do funcionário. A Fazenda acrescentou que “acompanha o caso e irá colaborar com as autoridades no que for necessário.”

Fonte: G1

MP denuncia 12 em caso da Alstom em SP

O Ministério Público Federal denunciou, em 31/1/14, à Justiça doze investigados por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro relativos a um aditivo de contrato firmado em 1998 pela multinacional francesa Alstom com uma companhia de energia do governo de São Paulo. Entre os denunciados estão dois ex-diretores de estatais paulistas. Segundo a denúncia, o pagamento de propina a funcionários públicos do Estado ocorreu entre 1998 e 2003. O período compreende as gestões de Mário Covas e Geraldo Alckmin, ambos do PSDB.É a primeira denúncia de caráter criminal envolvendo uma empresa do cartel dos setores de energia e metroferroviário, por práticas que são investigadas, no Brasil, desde 2008. A Alston também é alvo de outro inquérito sobre irregularidades na venda de equipamentos e serviços para o Metrô e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).Segundo a Procuradoria da República, os crimes foram praticados quando da assinatura do décimo aditivo do contrato Gisel (Grupo Industrial para o Sistema da Eletropaulo), assinado pela Empresa Paulista de Transmissão de Energia (EPTE) com a Alstom e outras três empresas por R$ 181,3 milhões, em valores atualizados.

O aditivo se referia ao fornecimento de equipamento para construção e ampliação de três estações de transmissão de energia e compra de equipamentos que serviriam para a expansão do Metrô paulista. O valor da propina pago pelo esquema para que não houvesse licitação, segundo a Procuradoria, foi de R$ 23,3 milhões, em valores corrigidos pelo IGP-M. O vereador Andrea Matarazzo (PSDB), que chegou a ser indiciado pela Polícia Federal por corrupção passiva, não foi denunciado. “Forçoso reconhecer a inexistência, pelo menos por ora, de elementos de prova suficientes para a propositura da ação penal pública”, avaliou a Procuradoria que, no entanto, requereu abertura de inquérito policial autônomo para investigar a conduta do tucano.

A denúncia mira principalmente dois novos personagens do Caso Alstom, acusados por corrupção passiva: o ex-presidente da EPTE José Sidnei Colombo Martini – hoje professor da Escola Politécnica da USP e prefeito da Cidade Universitária – e Celso Sebastião Cerchiari, diretor de operações da Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista, concessionária privada de energia que incorporou a EPTE em 2001. Cerchiari e Martini foram investigados pela Polícia Federal, mas não indiciados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Estadão

As empresas que aparecem na suposta lista da propina do fiscal Luis Alexandre Cardoso de Magalhães afirmam desconhecer o documento e pagar o Imposto Sobre Serviços (ISS) corretamente. Algumas construtoras afirmam já colaborar com as investigações e outras dizem que não receberam nenhuma notificação formal do Ministério Público Estadual (MPE).

O Shopping Center Iguatemi afirma que todos os recolhimentos foram realizados pelas empresas contratadas para execução da obra. De acordo com a assessoria de Imprensa do centro de compras, foi da construtora a responsabilidade de obtenção de certificados de quitação dos tributos, incluindo ISS. A nota do shopping não cita a construtora.

A Fundação Cesp afirma ter assumido o compromisso de apresentar documentos que comprovam que vendeu a cota de 20% de um empreendimento na Avenida 23 de Maio antes de 10 de julho de 2010 – data citada pelo fiscal Magalhães na lista como de recolhimento do dinheiro. “A entidade assume o compromisso de apresentar amanhã (esta terça-feira) cópia da documentação que comprova a operação de venda. Esclarece ainda que, mesmo anteriormente à venda, era apenas cotista do imóvel, nunca tendo tido participação na administração do mesmo”, afirma a nota.

A Brookfield, também citada na lista, já assumiu ter pago R$ 4,1 milhões aos fiscais. “A empresa reforça que já vem colaborando com o Ministério Público, prestando todas as informações necessárias à apuração dos fatos. Comparecemos espontaneamente, fomos ouvidos como testemunhas e nos consideramos vítimas de extorsão”, afirma a nota da empresa.

Transparência

A Cyrela diz que “preza pela transparência e pela seriedade” e está à disposição das autoridades para prestar esclarecimentos. “A empresa reitera que desconhece qualquer irregularidade em seus empreendimentos e reforça que cumpre com as obrigações fiscais e tributárias, conforme determinação da lei”, afirma nota da empresa

A Tarjab também afirma estar à disposição para colaborar com as investigações. A Trisul faz a mesma afirmação e ressalta que “observa as melhores práticas de governança corporativa, cumprindo todas as suas obrigações perante as autoridades públicas”. A Helbor não se manifestou.

A Tecnisa afirma que está disposta a colaborar com as investigações, mas ressalta que não teve acesso à lista. A PDG também afirma não ter tido acesso à listagem, mas “continua à disposição para prestar todos os esclarecimentos, caso seja solicitada alguma informação”.

A construtora Tenda afirma que não foi notificada, mas está disponível para prestar esclarecimentos. “Também ressalta que recolhe rigorosamente os tributos relacionados a todos os seus empreendimentos”, afirma o comunicado da assessoria de Imprensa.

A reportagem entrou em contato com o hospital Igesp pelo e-mail do site oficial, no fim da tarde desta segunda-feira, 9, mas não obteve resposta até as 21h. A reportagem também entrou em contato, por e-mail, com as empresas Bracco, Atlântica e Tropical, que também aparecem na lista. As três não responderam.

SPE

Na lista, há dezenas de Sociedades de Proposta Específica (SPEs), formadas para a realização de apenas um empreendimento, sob a mira do MPE. O objetivo é descobrir quais são as empresas mães. Cada SPE pode ter mais de uma empresa responsável por empreendimento. Na lista do MPE estão pelo menos 410 empreendimentos investigados.

Uma contabilidade paralela do grupo suspeito de fraudar o Imposto sobre Serviços (ISS) em São Paulo, apreendida pelo Ministério Público Estadual (MPE), aponta que em apenas 16 meses os quatro auditores fiscais acusados de integrar o esquema arrecadaram R$ 29 milhões em propinas pagas por 410 empreendimentos concluídos entre junho de 2010 e outubro de 2011 na capital paulista.

Descoberta na tarde desta quarta-feira, 4, entre o material apreendido no fim de outubro com o fiscal Luis Alexandre Cardoso de Magalhães, a planilha mostra que os imóveis listados deveriam ter recolhido R$ 61,3 milhões de ISS, mas apenas R$ 2,5 milhões entraram para os cofres da Prefeitura, causando um prejuízo de R$ 59 milhões. Ao MPE, Magalhães disse desconhecer a autoria da planilha.

Divisão

Para o promotor Roberto Bodini, “o documento fala por si”. “Ele é rico em detalhes, traz os valores das guias e nomes de empreendimentos. Isso nos permite avançar nas investigações mesmo sem saber quem é o pai da criança”, afirmou. Segundo o promotor, o arquivo mostra que as construtoras que pagaram propina tiveram 50% de desconto de ISS. Outros 10% eram dados ao despachante que intermediava a operação, quando isso ocorria, e o restante era dividido igualmente entre os quatro fiscais – que chegaram a ser presos.

Para Bodini, os valores mostram que a estimativa de que a quadrilha teria desviado até R$ 500 milhões da Prefeitura é real. “A gente tem notícia de que o esquema funcionou até setembro de 2012. Ou seja, tem ainda um ano para frente ainda não contabilizado e um período ainda não definido para trás”, ressaltou. O promotor também disse que outro fiscal sob investigação, Carlos Augusto di Lallo, pode ter uma contabilidade paralela, uma vez que era chefe de Magalhães.

De acordo com o MPE, na lista aparecem empreendimentos das seis empresas que já são investigadas por suposto pagamento de propina – Alimonti, Brookfield, BKO, Tarjab, Tecnisa e Trisul – e outras que ainda serão confirmadas pela Promotoria, antes de terem seus nomes revelados. Das seis, Alimonti e Brookfield admitiram a prática de propina, desembolsando R$ 416 mil e R$ 4 milhões, respectivamente.

As demais negaram e disseram que estão colaborando com as investigações. Segundo o promotor, elas pediram mais tempo para poderem prestar depoimentos. Aos promotores, Magalhães apenas reiterou que as empresas não eram obrigadas a pagar propina para conseguirem a liberação do Habite-se. Segundo ele, as construtoras aderiram ao esquema por vontade própria, para obter vantagem financeira. “Elas não estão se comportando como vítimas”, disse Bodini.

Para o controlador-geral do Município, Mário Spinelli, a planilha também vai ajudar a Prefeitura a tentar reaver os valores de ISS que não foram recolhidos. “Nós saímos de um patamar de 40 para 410 empreendimentos. Se há indício claro de que essas empresas deixaram de recolher imposto, evidentemente que serão chamadas (pela Prefeitura, para cobrar o valor devido)”, disse Spinelli. A administração paulistana já intimou as construtoras responsáveis pelas 40 obras a comprovar que recolheram 100% do ISS devido.

Ainda chamou a atenção dos investigadores que na contabilidade paralela da quadrilha constavam pequenas obras. Essas tinham valores de ISS inferiores a R$ 1 mil.

Na semana passada, o Estado revelou que Vanessa Caroline Alcântara, ex-companheira de Magalhães, disse ao MPE que quando não haviam grandes empreendimentos para alimentar o esquema, a quadrilha achacava pequenas obras. Era a chamada Operação Brás.

Denúncia fica para 2014

Para Bodini, as novas provas ampliam ainda mais o universo de investigação e, por isso, uma denúncia dos acusados à Justiça só deve ocorrer no ano que vem. “Estamos há poucos dias do recesso forense, ou seja, é impossível apresentar uma denúncia ainda em 2013.”

O esquema de fraudes fiscais na prefeitura paulistana envolvia, além de grandes construtoras, hospitais e um shopping center. De posse de uma planilha, que traz uma lista de empresas com os valores devidos à prefeitura e os que foram pagos de propina aos fiscais, o promotor de Justiça de São Paulo Roberto Bodini disse na tarde de hoje (10) que o documento demonstra “a contabilidade do grupo criminoso e a forma como era feita a cobrança, o pagamento e a divisão da propina”.

A planilha foi obtida do computador de um auditor fiscal que foi preso por integrar o esquema criminoso que fraudava o recolhimento do Imposto sobre Serviços (ISS). Entre os que aparecem na lista estão, além de grandes construtoras como a Brookfield, o Hospital Igesp, localizado na Bela Vista; o Hospital Bandeirantes, na Liberdade; e o Shopping Iguatemi, na Avenida Faria Lima.

De acordo com o documento, em um de seus empreendimentos, por exemplo, a Brookfield devia R$ 421.122,76 para a prefeitura. A planilha mostra que metade do valor total devido pela empresa foi descontado pelos fiscais, ou seja, R$ 210.561,38 foram retirados como desconto. A outra metade foi assim dividida: R$ 10.561,38 foram recolhidos à prefeitura e R$ 200 mil distribuídos entre os fiscais envolvidos na fraude.

Na planilha também aparecem 410 empreendimentos, que deviam um total de R$ 61 milhões [que deveriam ser recolhidos de imposto] para a prefeitura entre junho de 2010 e outubro de 2011. Do total, R$ 2,5 milhões foram parar nos cofres da prefeitura. Cerca de R$ 29 milhões, de acordo com o documento, ficaram com as pessoas envolvidas nas fraudes. O pagamento de propina ainda está sendo investigado pelo Ministério Público.

Segundo o promotor, a planilha obtida com o fiscal Luís Alexandre Cardoso de Magalhães, delator do esquema, coincide 100% com uma relação produzida pela prefeitura paulistana sobre o recolhimento do imposto. “Pedimos para a prefeitura a certidão e identificação das guias de recolhimento de ISS que são mencionadas na planilha [obtida com o fiscal]. Por meio dessas guias de recolhimento vamos chegar à certidão de quitação com a identificação da empresa responsável pelo empreendimento”, disse o promotor.

Para auxiliar na investigação, o Ministério Público e a Polícia Civil vão integrar uma força-tarefa. A parceria foi definida ontem (9), mas nesta quarta-feira (11) os órgãos deverão se reunir mais uma vez para estabelecer uma agenda de trabalho. “O objetivo [da força-tarefa] é ajudar a apurar essas centenas de casos de corrupção”, explicou Bodini.

Apesar de ainda investigar a participação de agentes da prefeitura e de empresas no esquema, o promotor questionou o fato de os empreendimentos não terem, em qualquer momento, denunciado a existência de um esquema criminoso, apesar dele aparentemente envolver tantas empresas. “São 410 casos. Se havia alguma obrigatoriedade [de pagamento de propina] ou se havia um outro meio de proceder, nenhuma dessas empresas teve a iniciativa de união ou [de acionar o] Poder Público para fazer com que isso chegasse ao chefe do Executivo municipal. E o Judiciário? Nenhuma delas [empresas] recorreu ao Judiciário. É estranha essa situação”, disse o promotor.

Por meio de nota à imprensa, o Shopping Iguatemi informou desconhecer qualquer irregularidade. “Todos os recolhimentos foram feitos pelas empresas contratadas para execução da obra, tendo sido responsabilidade da construtora a obtenção dos certificados de quitação dos tributos devidos, inclusive do ISS”.

Já a Brookfield São Paulo Empreendimentos Imobiliários informou que tem colaborado com o Ministério Público. “Comparecemos espontaneamente, fomos ouvidos como testemunhas e nos consideramos vítimas de extorsão”, disse.

O Grupo Saúde Bandeirantes, do Hospital Bandeirantes, declarou não ter sido procurado pelo Ministério Público. “E reforça que, com quase 70 anos de história, sua trajetória sempre foi marcada pelo compromisso social, com base no respeito à vida, à qualidade na assistência e à responsabilidade socioambiental”, diz a nota.

Procurado pela Agência Brasil, o Hospital Igesp, até o momento, não se pronunciou sobre seu nome aparecer na planilha apreendida com o fiscal.

Fonte: Estadão

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP), através do promotor de Justiça Roberto Bodini, pedirá a quebra do sigilo fiscal e bancário de outros dois auditores fiscais da prefeitura da capital paulista. Fabio Remesso e Amílcar Cançado estão entre os investigados no esquema de desvio de R$ 500 milhões no recolhimento do Imposto sobre Serviços (ISS) dentro da administração municipal.

De acordo com o auditor Luís Alexandre Magalhães, que fez acordo de delação premiada com o MP e está envolvido no escândalo, Cançado seria o “criador” do esquema. Magalhães foi detido junto com outros três auditores – Ronílson Bezerra Rodrigues, Eduardo Horle Barcellos e Carlos di Lallo – no último dia 30.

Bodini disse que irá encaminhar o pedido de quebra ao juiz na quinta-feira. “São situações que posso divulgar, pois são dados consolidados. A divulgação não prejudica, pois são dados que já foram feitos. Existem algumas coisas que a publicidade pode prejudicar”, explicou o promotor.

O promotor disse ainda que pretende ouvir Marco Aurélio Garcia, irmão de Rodrigo Garcia, secretário na administração Gilberto Kassab (PSD). De acordo com depoimentos dos auditores, Marco Aurélio cedeu uma sala gratuitamente a Ronilson para que ele abrisse o próprio negócio. Segundo Bodini, há indícios de lavagem de dinheiro.

“Precisamos esclarecer a real situação do empréstimo desse escritório. Ele diz que cedeu gratuitamente para que o Ronilson fizesse uma base para um futuro pet-shop, venda de comida pela internet. Essa história não cola”, disse Bodini. “Depois tem a notícia de uma transação do Ronilson com o Marco Aurélio Garcia de R$ 1 milhão e aquisição de flats e contrato de gaveta na Bela Cintra. Isso, em tese, tem as características de uma manobra de lavagem de dinheiro”, completou.

Bodini afirmou ainda que pretende ouvir as mulheres dos servidores investigados. Segundo o promotor, no caso de Ronilson e de Di Lallo, elas tinham sociedade com os auditores.

“O Ronilson era sócio de uma empresa juntamente com a esposa e a filha e a sede era em sua residência. Ele não tem ideia de quanto faturava a empresa, quais os clientes. Isso é no mínimo estranho. Preciso ouvir a esposa para ver como funcionava isso. Em relação ao Di Lallo, a mesma coisa. A esposa era sócia em dois empreendimentos. Se for comprovado, elas serão indiciadas por lavagem de dinheiro, assim como as filhas, que também eram sócias”, disse.

Bodini explicou que diversos nomes estão surgindo durante os depoimentos e investigações, mas é preciso manter o foco. Para isso, nos próximos dias, ele irá analisar os depoimentos e encaminhar outros fatos para que se abram novas investigações.

“São situações que dependem e demandam, mas eu não quero fazer no meu procedimento. Quero pegar todas as menções e instaurar uma nova investigação para cada um desses fatos. Eu não tenho pauta e recurso material e humano para tocar tudo isso de uma vez só. Preciso ouvir as empresas, as esposas dos investigados, disparar essas investigações; e, para que eu possa conseguir dar razão a essas notícias graves e que serão investigadas, não posso canalizar em um procedimento só, isso não terá fim”, disse.

Quatro auditores fiscais da prefeitura de São Paulo na gestão  do ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD) foram presos na manhã desta quarta-feira em  uma operação montada pelo Ministério Público Estadual e a Controladoria Geral do  Município (CGM), com ajuda da Polícia Civil de São Paulo, para desbaratar um  esquema de corrupção que pode ter causado prejuízo de pelo menos R$ 200 milhões  aos cofres públicos somente nos últimos três anos. Como a quadrilha agia desde  2007, os prejuízos podem subir para R$ 500 milhões, segundo os promotores do  caso. O chefe da quadrilha, segundo o MP, Rolilson Bezerra Rodrigues,  ex-subsecretário da Receita de Kassab, foi nomeado em janeiro, já na gestão do  prefeito Fernando Haddad, diretor financeiro da SPTrans, empresa municipal de  transportes, cargo que deixou em junho.

A ação também bloqueou cerca de R$ 80 milhões em bens dos  presos, entre eles, apartamentos, flats, prédios, barcos e automóveis de luxo, e  até uma pousada em Visconde de Mauá, no Rio de Janeiro. Grande quantidade de  dinheiro e joias foi apreendida, mas os promotores não souberam precisar os  valores confiscados ontem.

— Trata-se de um dos maiores escândalos de São Paulo — disse  o prefeito Fernando Haddad (PT), em entrevista coletiva ontem.

Presos foram exonerados de cargos

Na operação Necator (parasita que se instala no aparelho  digestivo, provocando anemia no paciente), foram presos Rolilson, exonerado da  Receita Municipal em 19/12/2012; Eduardo Horle Barcelos, ex-diretor do  Departamento de Arrecadação e Cobrança (exonerado do cargo em 21/01/2013);  Carlos Augusto Di Lallo Leite do Amaral, ex-diretor da Divisão de Cadastro de  Imóveis (exonerado do cargo em 05/02/2013), e o agente de fiscalização Luís  Alexandre Cardoso Magalhães. Além das prisões feitas ontem em São Paulo, foram  cumpridos mandados de busca e apreensão nas residências dos servidores e de  terceiros, assim como nas sedes das empresas ligadas ao esquema. Os quatro  tiveram prisão temporária por 30 dias decretada.

Todos são investigados pelos crimes de corrupção, concussão,  lavagem de dinheiro, advocacia administrativa e formação de quadrilha. A  operação ocorreu na capital paulista, em Santos e em Cataguases, Minas Gerais,  onde os suspeitos têm imóveis bloqueados. Todos são funcionários públicos de  carreira e continuavam trabalhando na prefeitura em outros cargos. Eles  responderão a processo administrativo e deverão ser demitidos.

ISS caía na área dos auditores

Por meio de análise estatística efetuada pelo setor de  inteligência, a Controladoria do Município constatou que nas obras sob a  responsabilidade desses auditores fiscais a arrecadação do ISS era  substancialmente menor que o percentual arrecadado pela média dos outros  servidores que atuavam na mesma área. Uma grande empresa recolheu, a título de  ISS, uma guia no valor de R$ 17,9 mil e, no dia seguinte, depositou R$ 630 mil  na conta da empresa de titularidade de um dos auditores fiscais. O valor da  propina corresponde a 35 vezes o montante que entrou nos cofres públicos. Se  fosse obedecer à lei, ela teria que pagar R$ 1 milhão à prefeitura.

— Vamos chamar as construtoras e incorporadoras para ver o  que elas têm a dizer sobre o pagamento das propinas aos quatro auditores  fiscais. Precisamos saber se elas foram extorquidas ou se pagaram a propina  apenas com o intuito de obter vantagens no processo. Precisamos saber se elas  eram corruptas ou não tinham outra saída — disse o promotor Roberto Bodini, do  Grupo de Atuação Especial de Repressão à Formação de Cartéis e Lavagem de  Dinheiro e Recuperação de Ativos (Gedec).

A investigação aponta que os agentes públicos montaram um  esquema de corrupção envolvendo o Imposto Sobre Serviços (ISS) cobrado de  empreendedores imobiliários. Segundo a investigação, eles emitiam guias de  pagamento do tributo com valores menores do que manda a lei (o imposto é  calculado sobre o custo da obra do empreendimento imobiliário) e exigiam que  altas quantias fossem depositadas em suas contas bancárias. O recolhimento do  ISS é necessário para que o habite-se seja emitido pela prefeitura, e o  empreendimento seja liberado para ocupação.

— Eles criavam dificuldades para vender facilidades — resumiu  o controlador-geral do Município, Mário Spinelli, garantindo que toda a operação  começou há sete meses, já na gestão Haddad, em razão de um cruzamento do  enriquecimento dos funcionários com dados sobre os pagamentos das  construtoras.

Líder da quadrilha foi intimado antes

No entanto, o controlador na gestão Kassab, Edilson Bonfim,  disse que a investigação sobre a quadrilha começou em dezembro, com uma denúncia  anônima.

— Eu cheguei a intimar o Rolilson Rodrigues em novembro para  que explicasse as denúncias de que estaria recebendo propinas para facilitar a  obtenção do habite-se. Ele acabou pedindo exoneração do cargo em dezembro.  Deixei o material para ser apurado na atual gestão, pois era final de ano, e eu  não teria mais como concluir a investigação — disse Bonfim.

O atual controlador-geral, Mário Spinelli, contudo, garante  que toda a investigação começou em sua gestão à frente da prefeitura. Em  entrevista coletiva ontem, o prefeito Fernando Haddad disse que a operação não  tem por objetivo fazer uma devassa na administração de Kassab.

— Não tem ninguém imune, mas não há devassa alguma. O  controlador-geral recebeu carta branca minha para investigar quem ele entender  que deve, inclusive a mim se ele entender por bem. O controlador-geral, com  apoio do Ministério Público Estadual, vai combater a corrupção na prefeitura, e  nós vamos fazer o saneamento das contas da prefeitura. São Paulo precisa se  recuperar no campo ético e ter as finanças saneadas — disse Haddad.

Kassab apoia apuração

Em nota, Kassab, atual presidente nacional do PSD, diz que  “apoia integralmente” a apuração e defende a “punição exemplar” dos envolvidos  caso comprovadas as irregularidades. O comunicado frisa que o ex-prefeito quando  chefiava a administração municipal encaminhou à Corregedoria Geral do Município  e ao Ministério Público as denúncias que chegaram até ele. Ao GLOBO, Kassab  disse que “está tranquilo” quanto às denúncias de corrupção no setor dos  auditores fiscais.

Segundo os promotores, esse caso nada tem a ver com a  denúncia de pagamentos de propinas na gestão de Kassab em 2012 envolvendo o  fiscal Houssan Aref Saab, que também enriqueceu ilicitamente e foi demitido no  ano passado.

O auditor fiscal da prefeitura de São Paulo Ronilson Bezerra Rodrigues, detido nesta quarta-feira e investigado por desvio de até 500 milhões de reais do Tesouro Municipal, costumava dar palestras e frequentar seminários sobre arrecadação de impostos em órgãos públicos. Ele participou de eventos na Assembleia Legislativa paulista (Alesp) e na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Em suas exposições, Rodrigues pregava o combate a fraudes como uma forma de os municípios elevarem receita dos tributos.

Em maio de 2009, Ronilson Rodrigues preconizou que a boa administração deveria “combater a fraude, a sonegação e a inadimplência”. Ele falava a servidores municipais em palestra promovida pela Escola de Gestão e Contas Públicas Eurípedes Sales, do Tribunal de Contas do Município (TCM) de São Paulo.

O “conselho” de Ronilson Rodrigues consta em apresentação de slides disponível no site do TCM. No mesmo documento, o auditor recomenda que as prefeituras priorizem “o relacionamento fisco-contribuinte pela internet”. A digitalização de processos burocráticos é justamente uma das ações que os agentes públicos costumam adotar como forma de combater fraudes, sempre que escândalos corrupção na máquina vêm à tona.

Ronilson também alertava para a existência de “paraísos fiscais” em São Paulo – imóveis que apareciam como sede de “centenas de empresas”. “São estabelecimento fictícios, sem a mínima estrutura para prestação de serviços”, escreveu em sua exposição. Segundo o Ministério Público, a quadrilha formada por Ronilson e mais três auditores criou empresas de fachada para receber propina de construtoras. Em troca, as empreiteiras recebiam desconto de até 50% no pagamento do imposto sobre serviços (ISS). Os promotores dizem que a fraude ocorria em empreendimentos de alto padrão, que custavam pelo menos 50 milhões de reais às empresas.

Outra diretriz recomendada por Ronilson para aumentar a receita era a “cobrança amigável” das taxas. Ele explicou na apresentação que a “Fazenda Pública paulistana” fez uma “parceria com os grandes contribuintes municipais”. “Trata-se de uma ação proativa em relação aos contribuintes mais significativos para o montante da arrecadação, buscando melhorar a convivência entre o fisco e os administrados”, explicou, sem citar exemplos.

À época, Ronilson era secretário-adjunto de Planejamento e Orçamento na prefeitura de Santo André (SP), na gestão do ex-prefeito Aidan Ravin, então no PTB. Servidor de carreira da prefeitura paulistana, ele voltaria à capital paulista para assumir a subsecretária da Receita Municipal, alçado ao cargo pelo ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD). Também na gestão Kassab, Ronilson seria indicado para o conselho fiscal da Companhia São Paulo de Desenvolvimento e Mobilização de Ativos (SPDA), em abril de 2012.

Após denúncia anônima sobre sua conduta recebida pela prefeitura, por volta de setembro do ano passado, Ronilson foi investigado pela Corregedoria-Geral do Município. Ele alegou que seu patrimônio vinha da família e da esposa, que teria posses antes do casamento. Em dezembro, Ronilson foi exonerado do cargo de subsecretário da Receita. Titular da secretaria de Finanças à época, Mauro Ricardo Costa disse que ele se revoltou e se insubordinou.

Entre fevereiro e junho, a gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) também o nomeou para a diretoria executiva da São Paulo Transporte (SPTrans) – empresa pública que gerencia o sistema de ônibus.

Formação – No Rio de Janeiro, Ronilson graduou-se em Administração na Universidade Federal Fluminense (UFF) e fez especialização em Recursos Humanos na Fundação Getúlio Vargas (FGV-RJ). Ele também estudou Gestão Pública na Fundação do Desenvolvimento Administrativo (Fundap), já em São Paulo.

Ronilson era tido como especialista em arrecadação tributária e conhecedor dos meandros da burocracia na máquina pública. Em março de 2009, foi convidado para falar sobre o tema pela OAB de São Paulo, apresentado como “Dr. Ronilson”. Em agosto de 2011, participou de uma audiência pública sobre reforma tributária no Brasil na Alesp, ao lado de deputados estaduais e do jurista Ives Granda Martins.

Os auditores fiscais da prefeitura de São Paulo presos em 30/10/13, após investigação do Ministério Público Estadual (MPE) e da Controladoria-Geral do Município (CGM), recebiam parte da propina em dinheiro, no 11º andar do Edifício Matarazzo, sede do governo municipal. Era lá que o ex-subsecretário da Receita Municipal Ronilson Bezerra Rodrigues estava lotado. O valor chegava a até 280 000 reais mil por semana, segundo a investigação. Na época, o ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD) despachava no 5º andar. Pelo menos cinco construtoras já foram identificadas como suspeitas de envolvimento na fraude, que pode ter causado um rombo de 500 milhões de reais aos cofres públicos.

São citadas em trechos da investigação as incorporadoras Trisul, BKO, Tarjab, Alimonti e Brookfield. As três primeiras pagariam valores em dinheiro aos fiscais. A Alimonti chegou a atuar com o grupo, mas recorreu a outro auditor da prefeitura após desentendimentos. Já a Brookfield teria imposto dificuldade para o envio das notas e, por isso, os fiscais abriram empresas para receber transferências bancárias.

As incorporadoras citadas enviaram notas à reportagem em que negam as acusações. Trisul e Brooksfield são companhias de capital aberto, com ações negociadas na Bovespa.

As incorporadoras costumam constituir as chamadas Sociedades de Propósitos Específicos (SPEs) para a realização de empreendimentos. E a investigação do MPE apurou que a propina que os fiscais receberiam vinha das SPEs – e não diretamente das incorporadoras.

Encontros – Os auditores exigiam que o pagamento fosse, sempre que possível, feito em dinheiro. As empresas, de acordo com o que foi apurado pelo MPE, já sabiam dessa condição. Se não cumpriam com a exigência, a guia de quitação dos impostos sobre serviços (ISS) – uma das contrapartidas oferecidas pelos auditores em troca de propina - não era emitida.

O dinheiro era entregue diretamente no Departamento de Arrecadação, da Secretaria Municipal de Finanças. Em algumas ocasiões, a transação era feita no Café Vermont, na Praça da República. Nesses encontros, Carlos Augusto di Lallo Leite do Amaral e Luís Alexandre Cardoso Magalhães levavam as partes de Eduardo Horle Barcellos e de Ronilson Bezerra Rodrigues diretamente para a sala deles na Secretaria de Finanças.

Os quatro teriam contato direto com as empresas. Mas também receberiam “despachantes” especializados na cobrança do ISS. Ao menos três pessoas que prestam esse serviço também devem ser ouvidas nas investigações.

Esquema - De acordo com a investigação, as empresas tinham de pagar o imposto sobre serviços (ISS) para a liberação do Habite-se das construções – a permissão para ocupar os imóveis - e sabiam do esquema para obter até 50% de desconto no pagamento. Para isso, as companhias procuravam diretamente os quatro fiscais presos.

O prefeito Fernando Haddad (PT) disse nesta quinta-feira que “uma boa parte das grandes construtoras” aparece nas investigações. “Eu não sei dizer os nomes porque isso está reservado. Nosso desejo é que isso vá até o fim, porque nossa intenção é recuperar esses recursos”, afirmou.

O esquema começou a ser alvo do MPE após uma fiscalização eletrônica feita pela prefeitura, que comparou os bens declarados pelos funcionários públicos com as rendas. Os auditores fiscais presos tinham patrimônio de ao menos 80 milhões de reais, para salários base que variavam de 18 000 reais a 24 000 reais.

A investigação também descobriu que o grupo atuava na emissão das guias de quitação do ISS de construtoras. Os fiscais abatiam até 50% do valor de grandes obras e os outros 50% eram divididos da seguinte forma: 30% eram destinados para os agentes presos, 10% eram entregues a despachantes ligados ao esquema e os outros 10% iam, efetivamente, para os cofres da prefeitura.

O MPE ofereceu delação premiada aos fiscais detidos. A prisão temporária deles vencerá em três dias, embora as investigações continuem em curso. Nesta quinta-feira, promotores do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime de Formação de Cartel e à Lavagem de Dinheiro (Gedec) continuaram o interrogatório dos detidos, que passariam a segunda madrugada na carceragem do 77.º Distrito Policial, em Santa Cecília.

Outro lado – As construtoras empresas apontadas na investigação do MPE afirmam desconhecer as suspeitas de pagamento de propina. Em nota, a BKO Incorporadora afirmou que “até a presente data não foi notificada sobre qualquer investigação e só se pronunciará se isso ocorrer”.

O departamento jurídico da Construtora Tarjab afirmou desconhecer o esquema e que o caso causa “estranheza”. ”Desconhecemos as pessoas mencionadas, bem como não fomos citados em nenhuma investigação do MPE. A Tarjab não coaduna com qualquer ato ilícito e sempre honrou seus compromissos com os entes públicos”, informou a empresa, em nota.

A assessoria de imprensa da Trisul Incorporadora e Construtura informou que não conseguiu localizar nesta quinta-feira os responsáveis para comentar o caso. A empresa deve se manifestar nesta sexta-feira sobre o assunto. A Alimonti Comercial e Construtora foi contatada na tarde desta quinta-feira, por telefone e e-mail, mas não respondeu aos questionamentos. A assessoria de imprensa da Brookfield Incorporações informou que a empresa não se manifestaria sobre a denúncia.

De acordo com a investigação, a Company, comprada pela Brookfield, se beneficiava do esquema de propina para reduzir o valor do ISS pago. A empresa é a mesma citada em outro escândalo na cidade de São Paulo, o que teve como pivô o ex-diretor do Departamento de Aprovações de Edificações (Aprov) Hussain Aref Saab.

Os quatro servidores da prefeitura de São Paulo presos por fraudar o pagamento do imposto sobre serviços (ISS) e desviar ao menos 200 milhões de reais do Tesouro Municipal – o rombo pode chegar a 500 milhões de reais, segundo estimou o município – gostavam de ostentar riqueza.

Os promotores que investigam o escândalo identificaram que uma das extravagâncias dos auditores fiscais era passar o fim de semana hospedado no Hotel Unique, nos Jardins, região nobre de São Paulo. Outra era almoçar num restaurante próximo dali, o requintado A Figueira Rubaiyat, um dos mais prestigiados da capital paulista. Da premiada adega do restaurante, escolhiam vinhos na faixa dos 3 000 reais.

Para passear, os auditores usavam um Porsche Cayman amarelo (o modelo novo é avaliado em cerca de 400 000 reais) e duas BMW brancas (com preços em torno de 180 000 reais e 100 000 reais), além de duas motos de 800 cilindradas, que custam 37 000 reais cada – uma Ducati Monster 796 e uma BMW F800R.

Eles também passavam dias em Santos (SP), a bordo de lanchas de luxo. Em Juiz de Fora (MG), compraram um apartamento de alto padrão, duplex, e flats. Também possuíam edifícios comerciais. Em Visconde de Mauá, na serra fluminense, adquiriram uma pousada inteira com chalés privativos e piscina.

O Ministério Público detalhou o patrimônio dos auditores a partir da quebra de sigilo fiscal e bancário dos investigados  - três dos quais tiveram cargos de confiança na gestão Gilberto Kassab (PSD). Um deles, Ronilson Bezerra Rodrigues, chegou a ser nomeado para a diretoria da São Paulo Transporte (SPTrans) neste ano, pela gestão do prefeito Fernando Haddad (PT). Com Kassab, ele fora subsecretário da Receita Municipal.

Salário - Os auditores detidos recebem salários altos. Servidores de carreira, eles foram exonerados dos postos de chefia obtidos na gestão Kassab, mas continuam no funcionalismo público e só podem ser demitidos após procedimento disciplinar. Ronilson Bezerra Rodrigues tem remuneração bruta total de 37 105,87 reais; o ex-diretor da Divisão de Arrecadação e Cobrança Eduardo Horle Barcellos ganha 20 608,40 reais brutos; e o ex-diretor da Divisão de Cadastro de Imóveis Carlos Augusto di Lallo Leite do Amaral recebe 19 155,97 reais ao todo. Os dados constam do site da Transparência da prefeitura. Não há, no portal, informação sobre o salário do agente de fiscalização Luis Alexandre Cardoso de Magalhães, o quarto acusado.

Os promotores estimam que os quatro auditores conseguiram reunir cerca de 80 milhões de reais (20 milhões de reais cada) no esquema de corrupção, lavagem de dinheiro e advocacia administrativa, concussão e formação de quadrilha. Segundo o promotor que preside a investigação, Roberto Bodini, eles cobravam das empresas imobiliárias propina no pagamento das guias do ISS. As empresas tinham a contrapartida de pagar até 50% a menos do que o devido aos cofres públicos, e a prefeitura arrecadava uma parcela descrita como “ínfima”.

“Chamamos as empresas a depor e elas negaram as irregularidades. Vítima se comporta como vítima, não nega, nem mente”, disse Bodini ao explicar se as empreiteiras foram vítimas ou participaram dos crimes.

O procurador-geral de Justiça, Márcio Fernando Elias Rosa, disse nesta quarta-feira que o Ministério Público já requereu o sequestro de bens deles. E que, “em breve”, os servidores devem ser formalmente denunciados à Justiça. Eles estão detidos, porque tiveram a prisão temporária decretada por trinta dias

Fonte: O Globo e Estadão

PF e Receita desmontam fraude de R$ 1 bi

Montante se refere ao prejuízo caso esquema de fraudes tributárias não fosse descoberto; 300 empresas são investigadas

Segundo delegada, quadrilha inseria dados falsos em sistema para reduzir ou zerar dívidas de empresas com o fisco

Depois de dois anos de investigação, uma operação da Polícia Federal e da Receita Federal desmontou ontem um esquema de fraudes tributárias que poderia gerar um prejuízo de R$ 1 bilhão.

Cerca de 300 empresas de 19 Estados estão sob investigação após serem identificadas como beneficiárias de irregularidades fiscais.

Na ação, chamada “Protocolo Fantasma”, foram presas ontem 11 pessoas suspeitas de integrar essa “organização criminosa”.

Quatro delas eram funcionários do Serpro (empresa de processamento de dados ligada ao governo), alguns deles emprestados para prestar serviço à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional.

Entre os presos estão ainda um consultor financeiro de uma empresa de grande porte do setor agrícola da região de Matão (interior paulista), contadores e advogados que atuavam como intermediários entre os clientes (as empresas) e os prestadores de serviço (os envolvidos no esquema). Outros 20 estão sob investigação.

A quadrilha inseria falsas informações no sistema eletrônico de controle de processos da administração pública para reduzir ou zerar dívidas que empresas tinham com o fisco, segundo a delegada Cecília Machado, do grupo de repressão a crimes cibernéticos da PF, coordenadora da operação.

Uma dessas informações eram créditos que não existiam -alguns eram até de ações que há anos estavam prescritas na Justiça.

Até o início da noite, os policiais procuravam outros três envolvidos no esquema.

“Os funcionários recebiam entre R$ 5.000 e R$ 10.000 por cada inserção falsa no sistema. Já os intermediários cobravam um percentual de 12% a 20% sobre o total da dívida que a empresa conseguia reduzir”, diz a delegada.

Até senhas foram roubadas por funcionários pelos envolvidos no esquema.

Um dos casos que mais chamou a atenção, segundo Fábio Ejchel, superintendente-adjunto da Receita Federal em São Paulo, foi de uma empresa que dizia ter R$ 320 milhões de créditos referentes a títulos públicos que datavam de de 1890 e 1900.

“São papéis sem valor algum. Não serviam nem para comprar um pãozinho. Datavam desde a época em que o Brasil era império”, diz.

Além de títulos sem valor, os envolvidos no esquema usavam para abater as dívidas depósitos judiciais que não existiam e valores recolhidos que eram falsos.

Uma das fraudes foi batizada de “golpe do Darfinho” em referência à declaração que empresas fazem ao fisco.

“A empresa recolhia R$ 50 ou R$ 100 em uma guia, o chamado Darf, mas não especificava qual imposto estava recolhendo, Depois entrava na Justiça dizendo ter recolhido R$ 50 mil ou R$ 100 mil e cobravam nessas ações inclusive juros e correção monetária”, afirma a delegada.

Os suspeitos devem responder pelos crimes de divulgação de segredo (quebravam o sigilo de potenciais clientes, empresas devedoras, para oferecer seus serviços), formação de quadrilha, corrupção, entre outros.

Fonte: Folha

Procuradores do Estado de S P acusam procurador de “atuação política” em favor do tucano Alckmin

 Procuradores do Estado de São Paulo acusam o procurador-geral Elival da Silva Ramos de “atuação política” em favor do governador Geraldo Alckmin (PSDB) ao ajuizar uma “ação inepta” contra empresas acusadas de formar um cartel para fraudar licitações do Metrô e da CPTM.
De acordo com a procuradora Márcia Semer, presidente da Apesp (Associação dos Procuradores do Estado de São Paulo), entrar na Justiça contra a multinacional alemã Siemens “foi mais uma ação política do que um trabalho jurídico de recuperação da verba desviada do Estado”.
 Em decisão tomada na terça-feira, a juíza Celina Kiyomi Toyoshima, da 4ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, mandou o governo refazer a ação e incluir as outras empresas acusadas de conluio.
O Ministério Público já havia pedido que a Justiça rejeitasse a ação por inépcia.
“Houve precipitação do governo em entrar com a ação. Questionamos sobre a Procuradoria-Geral do Estado PGE se prestar a um trabalho de satisfação política mais do que jurídico”, disse Márcia que  “O marketing político andou na frente da racionalidade jurídica”, completou.
O Diário Oficial publicou ontem pedido de Alckmin para que a Assembleia Legislativa aprecie em caráter de urgência um projeto de lei elaborado por Ramos, que centraliza o poder de decisão, inclusive no controle de licitações, no procurador-geral.

A Apesp elaborou abaixo assinado para tentar barrar o projeto e conta com 808 adesões dos 1600 procuradores de SP.

 

O auditor fiscal Eduardo Horle Barcellos, ex-diretor do Departamento de Arrecadação e Cobrança da prefeitura de São Paulo, afirmou, em depoimento ao Ministério Público paulista (MP-SP), que o ex-secretário Antonio Donato recebeu dele R$ 20 mil por mês entre dezembro de 2011 e setembro de 2012. As informações são do Jornal Nacional.

 

 

Barcellos falou ao MP nesta terça-feira. Em seu depoimento, o auditor afirmou que o dinheiro repassado era proveniente do esquema montado pelo grupo. Segundo o jornal, Barcellos afirmou que Donato não sabia que o dinheiro que recebia vinha da fraude, que pode ter causado prejuízo de até R$ 500 milhões, de acordo com a Controladoria-Geral do Município (CGM).

O dinheiro seria pago em espécie no gabinete de Donato, que era vereador na época. O auditor fiscal Ronilson Bezerra Rodrigues, subsecretário da Receita Municipal na gestão de Gilberto Kassab (PSD) e apontado como líder do esquema, também deu dinheiro ao ex-secretário, segundo Barcellos.

Barcellos disse também ao MP que os valores repassados a Donato eram uma espécie de investimento para que ele e Ronilson mantivessem cargos altos na gestão de Fernando Haddad (PT).

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, em fevereiro deste ano Barcellos foi transferido da Secretaria de Finanças para a pasta do Governo no começo do ano, a pedido de Donato. Ronilson foi nomeado diretor da São Paulo Transporte (SPTrans).

Donato negou que tenha recebido dinheiro e afirmou que Barcellos e Ronilson se aproximaram dele durante a campanha. Eles teriam oferecido estudos sobre o sistema de arrecadação da prefeitura. O vereador afirmou também que determinou o afastamento dos dois de seus cargos quando soube sobre a investigação.

De acordo com Haddad, Donato conheceu Rodrigues e Barcellos quando era coordenador de sua campanha à prefeitura.

“O Donato conhecia o Ronilson e o Barcellos da Câmara. Os dois apresentaram estudos na campanha eleitoral sobre o IPVA e o ISS. Eles tentavam se aproximar de quem tinha expectativa de poder, como pessoas desse tipo fazem.

O depoimento de uma testemunha protegida pelo Ministério Público Estadual (MPE) inclui mais dois vereadores na lista de políticos que teriam recebido dinheiro da quadrilha de auditores fiscais de São Paulo para suas campanhas eleitorais em 2012. A testemunha diz que Nelo Rodolfo (PMDB) e Paulo Fiorilo (PT), ambos da base do prefeito Fernando Haddad (PT) na Câmara Municipal, receberam dinheiro para favorecer integrantes da quadrilha. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

De acordo com a testemunha, o auditor fiscal Fábio Camargo Remesso disse ter se tornado chefe de gabinete da Secretaria de Assistência Social neste ano por indicação de Nelo Rodolfo, porque havia financiado a campanha do peemedebista. Segundo o depoimento, que não cita valores, o auditor fiscal Ronilson Rodrigues, que é apontado como chefe da quadrilha acusada de desviar até R$ 500 milhões, cobrando propina para reduzir o Imposto sobre Serviços (ISS) de obras na capital, teria financiado as campanhas dos vereadores.  Antonio Donato (PT) e Aurélio Miguel (PR) também teriam recebido dinheiro do grupo.

Gravações obtidas pelo MPE já mostravam que Fiorilo havia sido procurado por Rodrigues, quando soube que estava sendo investigado pela Controladoria-Geral do Município por enriquecimento ilícito. Fiorilo admitiu ter se encontrado com Rodrigues, ex-subsecretário da Receita na Câmara, mas negou ter ajudado o acusado ou recebido dinheiro.

Ao MPE, a testemunha disse ainda que Eduardo Barcellos, outro auditor fiscal acusado de integrar a quadrilha, “salvo engano”, também doou dinheiro para a campanha de Paulo Fiorilo, que foi eleito presidente municipal do PT

O auditor fiscal da prefeitura de São Paulo Luís Alexandre Cardoso de Magalhães, que confessou ter desviado dinheiro público na cobrança do ISS acusou nesta quinta-feira, em novo depoimento, mais cinco servidores de envolvimento na fraude. Ele também revelou despachantes ligados ao esquema e disse que a Construtora Tecnisa negociou com a quadrilha para pagar menos imposto. As informações são do Jornal Nacional.

“Ele fala que a Tecnisa era uma das que pagavam. E ele fala que a Tecnisa pagava principalmente na época do Amilcar (José Cançado Lemos, também fiscal). Pela versão dos auditores, as empresa que pagaram aderiram à corrupção, e nós temos a versão das empresas, de que se não pagassem não saía, e aí elas se colocam numa situação de vítima”, disse o promotor Roberto Bodini.

No novo depoimento, Luís Alexandre Magalhães confirmou que o esquema que desviava dinheiro da cobrança de ISS de construtoras funcionava desde que Amilcar Lemos era chefe do departamento de análise do ISS e do Habite-Se, na gestão de Gilberto Kassab, eleito pelo DEM, hoje no PSD. Ele disse que Amilcar viajava muito para Miami e que dizia que, quando se aposentasse, pretendia morar lá.

Os promotores vão investigar se o auditor levou o dinheiro da propina para o exterior. Na semana passada, documentos e arquivos de computador foram apreendidos no apartamento de Amilcar, em um prédio de alto padrão da zona sul de São Paulo. Os bens do auditor foram bloqueados, e os sigilos fiscal e bancário foram quebrados. No entanto, por ser funcionário concursado, ele continua trabalhando na prefeitura.

A construtora Tecnisa não quis se manifestar. E o auditor Amilcar José Cançado Lemos não foi localizado.

A prefeitura de São Paulo anunciou que irá exonerar o procurador do município Silvio Dias, que atuou como secretário-adjunto de Finanças entre 2008 e 2011, durante a gestão do então prefeito Gilberto Kassab (PSD). Ele é suspeito de ter ligações com auditores da prefeitura envolvidos na fraude no Imposto Sobre Serviço (ISS).

De acordo com a prefeitura, Dias é investigado pela Controladoria Geral do Município (CGM). A investigação corre em sigilo. Ele é procurador do Município desde junho de 2005 e já ocupou quatro cargos comissionados na prefeitura, nas secretarias de Finanças e de Planejamento, Orçamento e Gestão.

Segundo a revista Veja, uma testemunha protegida disse ter ouvido do ex-subsecretário da Receita municipal Ronilson Bezerra Rodrigues que Dias participou da quebra do sigilo fiscal municipal de uma empresa que pertence ao ex-ministro da Casa Civil, Antonio Palocci.

De acordo com matéria do jornal O Estado de S.Paulo, uma mulher que tinha um relacionamento íntimo com Rodrigues disse ao Ministério Público paulista (MP-SP) que o núcleo da Secretaria Municipal de Finanças frequentava o escritório usado pelos auditores da prefeitura no esquema. Entre os nomes citados estão os do então secretário Walter Aluísio Morais Rodrigues, além de Silvio Dias.

Como a apuração da CGM ocorre em sigilo, a prefeitura não informa se Dias é investigado por sua suposta ligação com a quadrilha de fiscais ou por conta da quebra de sigilo de Palocci.

Fonte: PGE SP
Comentários.

Prezado Leitor: este site também é seu. Publique aqui GRÁTIS seu post

Colabore

Últimas atualizações

ogtzuq

Deseja um Amigo Virtual?

Clique aqui

EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish
Acessar

Meu perfil
Perfil de usuário Terra 2012 .
Receba newsletters

Seu e-mail

Leitores do Terra 2012 pelo mundo
Quem está Online
12 visitantes online agora
3 visitantes, 9 bots, 0 membros
Map of Visitors
Rádio Anjos de Luz

Com agradecimento à Fada San. Visite www.anjodeluz.net

Enquetes

QUE LIÇÃO O POVO BRASILEIRO PODE TIRAR DA COPA DO MUNDO?

View Results

Loading ... Loading ...
Escreva para a grande fraternidade branca

Grande Fraternidade Branca
Com agradecimento ao Espaço Hankarra. Visite hankarralynda.blogspot.com

Prezado Leitor, se você é uma pessoa solitária, quer desabafar ou deseja uma opinião fraterna e desinteressada sobre algum problema que o aflige, escreva-nos carta para o endereço informado no rodapé do site, ou, se preferir, mande e-mail para grandefraternidadebranca
@terra2012.com.br
.

Todas as correspondências serão respondidas no menor prazo possível.

arvore

Antes de imprimir pense em sua responsabilidade e compromisso com o MEIO AMBIENTE!